Eliminados mas não derrubados

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Vitória SC vence 2-1 após prolongamento com um penálti inexistente. Resposta do FC Vizela extraordinária. A melhor equipa saiu da Taça de Portugal.

Um jogo personalizado, uma atitude à campeão e um apuramento frustrado por um penálti inexistente já em prolongamento numa fase em que o FC Vizela era melhor do que o Vitória SC e ameaçava mais ganhar antes dos penáltis. Afinal nem lá se chegou…

A primeira parte começou melhor para o Vitória SC. E a verdade é que, durante, esse período, o rival foi melhor e chegou justamente ao golo, ainda que através de um autogolo. Estavam decorridos 30 minutos de jogo. O FC Vizela tentou erguer-se e viu Etim desperdiçar o empate. Mas a equipa chegava mais com o coração à baliza de Celton Biai, com alguns cruzamentos ou bolas longas. O jogo tinha domínio vitoriano, mas as alterações feitas por Álvaro Pacheco ao intervalo mudaram tudo. Raphael Guzzo e Kiko Bondoso espevitaram o ataque e, depois, também com Osmajic e Zohi, ajudaram a 45 minutos realmente bons do FC Vizela, com todos os momentos do jogo controlados e oportunidades a sucederam-se. Além de alguns remates de meia distância, Osmajic e Nuno Moreira dispuseram de excelentes lances para empatar. E Zohi lá o conseguiu ao minuto 81. O francês apareceu ao segundo poste a empurrar um cruzamento largo de Samu. Empolgou-se o FC Vizela, empolgaram-se os 400 adeptos na bancada e silenciou-se o D. Afonso Henriques. Crescia o FC Vizela e ameaçava vencer ainda no tempo regular, algo que só não conseguiu por manifesta infelicidade de Osmajic, que, aos 90’+5′, teve nos pés o empate, mas não conseguiu empurrar para a baliza deserta.

O prolongamento não alterou o domínio do jogo e o FC Vizela começou como tinha acabado os 90 minutos: a criar perigo. Nessa altura, foi Kiko Bondoso a ameaçar, mas também Rashid, de longe. Até que aos 100 minutos, o Vitória SC faz o 2-1 através de um penálti convertido por Safira. Jota Silva encarou Luiz Felipe, pisou o guarda-redes do FC Vizela e depois caiu. Tentou reagir o FC Vizela, mas as expulsões rigorosas de Anderson (104′) e Tomás Silva (119′) mataram as hipóteses que restavam, pese embora o FC Vizela tenha lutado mesmo até ao fim.

FICHA TÉCNICA

Vitória SC 1-1 FC Vizela (2-1, a. p.)

Local: Estádio D. Afonso Henriques (7.125 espectadores)

Árbitro: Cláudio Pereira (AF Aveiro)

Assistentes: André Almeida / André Ferreira

4º Árbitro: João Afonso (AF Bragança)

Vitória SC (3x4x3): Celton Biai; André Amaro, Ibrahima Bamba e Mikel Villanueva (Tounkara, 45’); Zé Carlos, Tiago Silva (C) (Nicolas Janvier, 90’), André André (Dani Silva, 79’) e Hélder Sá; Rúben Lameiras (Safira, 90’), Anderson (André Silva, 61’) e Mikey Johnstone (Jota Silva, 61’).

Suplentes não utilizados: Bruno Varela, Bruno Gaspar e Ogawa.

Treinador: Moreno

FC Vizela (4x3x3): Luiz Felipe; Carlos Isaac (Tomás Silva, 32’), Bruno Wilson, Anderson e Kiki; Claudemir (Zohi, 79’), Diego Rosa (Raphael Guzzo, 45’) e Samu (C); Sarmiento (Kiko Bondoso, 45’), Etim (Osmajic, 59’) e Nuno Moreira (Rashid, 90’).

Suplentes não utilizados: Buntic, Ivanildo e Matheus Pereira.

Treinador: Álvaro Pacheco

Golos: 1-0 Anderson (30’, p. b.), 1-1 Zohi (81’) e 2-1 Safira (100’, g. p.).

Cartões Amarelos: Anderson (2’ e 104’), Jota Silva (64’), Tomás (78’ e 119’), Ibrahima Bamba (90’+3’), André Amaro (94’), Luiz Felipe (98’), Kiki (105’+3’) e Dani Silva (116’).

Cartões Vermelhos: Anderson (104’), Tomás Silva (119’) e Álvaro Pacheco (após final do jogo).

“Fizemos uma grande segunda parte e um grande prolongamento mesmo com menos um. Há coisas que não controlamos.”

Kiki, jogador do FC Vizela

“Amo futebol, amo os meus jogadores, amo Vizela e amo o Vizela. Tínhamos um sonho e não foi possível. Custa muito, mas temos muito orgulho de quem somos.”

Álvaro Pacheco, treinador do FC Vizela