Álvaro Pacheco: “Ambicionamos estar ao nível que temos estado e sermos capazes de conquistar pontos”

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Álvaro Pacheco falou aos jornalistas e projetou o encontro deste domingo, às 15h30, frente ao Boavista. O treinador do FC Vizela quer retomar o ciclo de bons resultados no Bessa, onde espera encontrar dificuldades frente a uma equipa que conhece bem.

REGRESSAR AOS PONTOS: “É com esse objetivo que vamos amanhã defrontar uma excelente equipa. Foi uma semana boa, uma semana depois de um jogo em que queríamos dar continuidade aos bons resultados. Não conseguimos, mas penso que fizemos uma grande exibição. Ambicionamos estar ao nível que temos estado, que estivemos ao longo desta semana e sermos capazes de conquistar pontos.”

ANÁLISE AO BOAVISTA: “Conheço muito bem o Boavista. Tem uma mentalidade de campeões. Sabendo como pensam naquela casa, depois da série de resultados que tiveram, vão encarar o jogo de amanhã como uma final para regressar às vitórias. E nós temos de nos manter fiéis àquilo que somos, principalmente ao nível da vontade, caráter, determinação e compromisso coletivo, agarrados à nossa ideia. Temos de estar ao mais alto nível. Vamos defrontar uma equipa muito forte nesse aspeto, principalmente a jogar em casa, com o apoio dos seus adeptos que, muitas das vezes, tornam-se no 12º jogador. Temos de estar tranquilos e perceber o jogo, ser sempre muito intensos, compactos e capazes de controlar o jogo. Se não o fizermos, vai ser difícil regressar aos pontos. Mas, como nós queremos regressar aos pontos e trazer de lá a vitória, temos de ser capazes de controlar o jogo.”

LADO POSITIVO DE JOGAR COM DEZ: “Foi importante aquilo que nos aconteceu para eles perceberem que não é por termos menos um jogador que temos de desvirtuar aquilo que nós somos, os padrões e a nossa ideia de jogo. Neste último jogo, isso ficou bem vincado. Mantivemo-nos fiéis ao nosso jogo e fomos sempre superiores ao adversário. Só não fomos superiores na eficácia, mas, no resto, remates, oportunidades, caudal ofensivo, tivemos essa superioridade. A mensagem foi mesmo essa. Mesmo que isso possa acontecer futuramente, nunca podemos deixar de nos agarrar àquilo que nós somos e às nossas referências, porque assim estaremos mais perto de conquistar o que pretendemos.”

RASHID JOGA?: “Não vejo as coisas assim porque o Guzzo, em jogos anteriores, esteve ao mais alto nível. Conto com os jogadores todos. O Rashid é um exemplo disso mesmo. Um jogador que não estava a jogar, mas que estava a treinar bem, a mostrar sempre compromisso com a equipa e as oportunidades às vezes surgem. O mais importante no futebol e na vida é que as oportunidades surgem a qualquer momento nós temos de estar preparados para as agarrar. Não tenho dúvidas que o Rashid estaria preparado para a oportunidade. Foi azar porque ficámos sem um jogador, tinha de fazer uma alteração e calhou ao Rashid por saber que ele não aguenta ainda os 90’ e pelo facto de os outros dois, o Alex e o Samu estarem há mais tempo com ritmo e entrosamento. O que posso dizer em relação ao próximo jogo é que ele pode jogar, pode não jogar, mas o mais importante é que conto com ele e sei que, quando precisar dele, ele vai dar o máximo pela equipa. Isso tem a ver com o perfil e o caráter dele.”

APOIO DOS ADEPTOS: “Olhando para aquilo que foi o jogo do ano passado e voltar a encher aquela parte que nos estava destinada revela-nos o que é ser vizelense. Depois de um jogo de frustração aqui em nossa casa, temos de manter a nossa família unida e não tenho dúvidas que amanhã, mais uma vez, vão estar em massa e ser determinantes para o nosso sucesso.”

PALAVRA ÀS EQUIPAS PORTUGUESAS: “Quero dar os parabéns ao FC Porto, Benfica e Sporting por esta campanha europeia, que a nós nos deixa todos orgulhosos. Desejo a melhor das felicidades e um bocadinho mais de sorte para o SC Braga no último jogo para ser capaz de passar à próxima fase.”