“É para ganhar”

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Álvaro Pacheco promete uma equipa com a identidade do costume em Moreira de Cónegos no fecho do campeonato. O treinador nem admitiria que fosse de outra forma, tendo em conta o discurso e a cultura de vitória que tem semeado ao longo dos últimos três anos.

Vencer em Moreira de Cónegos para fechar em beleza uma época histórica e continuar a consolidar um espírito de conquista que tem sido chave no percurso do Vizela. Este é o objetivo definido por Álvaro Pacheco para o jogo que encerra a Liga, em casa do vizinho e rival. O dérbi aquece entre adeptos e a equipa tem consciência disso, mas jogaria para ganhar e com a mesma seriedade fosse qual fosse o adversário. Foi isso que o técnico explicou em conferência de imprensa.

SITUAÇÃO RESOLVIDA: “Está resolvida e é mas que justo pelo desenrolar da época. Nunca nos desvirtuámos, fomos sempre Vizela e conseguimos o que pretendíamos, que era a permanência no escalão mais alto. Amanhã queremos acabar em alta com uma vitória”

FORMA DE ENCARAR O JOGO:   “Vamos encarar o jogo para ganhar. Quando percebi o projeto deste clube e aquilo que são as minhas ideias, percebi que estávamos de acordo com o jogar sempre para ganhar. O calendário ditou que o último jogo é em casa do Moreirense, mas isso não muda. Sei perfeitamente o que simboliza este desafio para os nossos adeptos , mas vamos encarar o jogo da mesma forma, na cultura de exigência, de superação. E eu, como treinador, também vou tirar ilações, porque quero ver se os meus jogadores, sem a pressão do jogo, alteram aquilo que aprenderam ao longo destes anos. O que falei com eles durante a semana, durante o ano, durante três anos, tem a ver com o jogar para vencer. Foi isso que nos fez chegar aqui e nos fará continuar a conquistar coisas. Queremos continuar a escrever páginas bonitas na próxima época”

DÉRBI: “Os nossos adeptos são fantásticos e, ao longo dos três anos que estou cá, souberam passar sempre essa paixão, esse carinho, a sua confiança. E sabemos o que representa este dérbi, mas o que a mim mais interessa é fomentar a cultura de jogar sempre para ganhar. E é isso que vai acontecer. Vão jogar os melhores.”

RECEÇÃO NA CÂMARA: “Vou agradecer aos Vizelenses. Foram muito importantes. O momento mais marcante desta época foi a semana depois do Belenenses. Era um jogo que queríamos muito ter vencido, mas não conseguimos. Depois tínhamos o Arouca, que era uma final para nós. Estávamos um pouco tensos. E essa semana, não só a tranquilidade que a administração passou,  mas o carinho, as mensagens, o apoio, o acreditar que sentimos, foi incrível. Eles foram, são e continuarão a ser parte do sucesso.”