Álvaro Pacheco: “Merecido, mas isto não está feito”

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Treinador vizelense sublinhou importância do triunfo, mas cortou na euforia e lembrou que a permanência ainda precisa de mais pontos.

Álvaro Pacheco agradeceu o apoio que os adeptos mostraram durante a semana e sublinhou a importância dos mesmos no triunfo sobre o FC Arouca, “justo” porque o FC Vizela foi mais regular e fez uma primeira parte “monstruosa”. Eis as declarações do treinador após o final do jogo e na conferência de imprensa.

ANÁLISE AO JOGO: “Disse que ia ser um grande jogo e foi. São duas equipas parecidas em muitos aspetos, muito aguerridas, determinadas e com vontade de ganhar. Sabíamos que teríamos de entrar fortes e fizemos uma primeira parte monstruosa, sem permitir ao adversário ligar o jogo e chegar à nossa baliza. E nós fomos criando oportunidades. Chegando ao intervalo com um score maior, penso que seria merecido. Na segunda parte, o adversário fez um golo e ficámos nervosos. Foi uma grande execução, é verdade, mas depois houve ali um período em que claramente o FC Arouca conseguiu equilibrar o jogo. Depois pegámos novamente no jogo, mas com oportunidades para as duas equipas e o segundo golo podia ter aparecido para qualquer uma das partes. Mas penso que, pela nossa exibição, pela determinação e qualidade de jogo, a vitória é merecida. Fomos mais consistentes e regulares, criámos mais oportunidades e jogámos mais tempo no campo adversário. E estes três pontos eram muito importantes, não decisivos, mas importantes.”

VITÓRIA DIFÍCIL: “Já há algum tempo que não vencíamos, era uma adversário direto, parecido connosco em várias coisas. Disse aos jogadores que ia ser disputado até ao fim. Mas a vitória assenta bem. Merecíamos estar a ganhar por mais ao intervalo. Na segunda parte, o FC Arouca empatou e até podia passar para a frente do jogo, mas passado este momento voltámos a ser incisivos, fizemos o 2-1, podíamos ter feito o 3-1 e, quando isso não acontece, depois tudo pode acontecer. Fomos felizes nisso, mas infelizes por não fazer o 3-1.”

CONTAS DA PERMANÊNCIA: “Não tenho dúvidas que 32 pontos não vão chegar. Se o FC Vizela quiser ficar na I Liga, como vai ficar, tem de saber que precisa de mais. Hoje temos de festejar, é importante, aumentamos a diferença para um adversário direto, mas se dormirmos a pensar que está feito vamos dar-nos mal. 32 pontos não chegam. Agora é descansar e voltar segunda-feira a pensar no que temos de fazer para somar os pontos que faltam. Por isso, é importante manter esta união, esta concentração. Claramente temos que fazer mais pontos para ficar na I Liga. E este clube merece ficar na I Liga, não só por quem gere e dá todas as condições e tranquilidade, como por este público, apaixonado.”

SCHETTINE: “Tem evoluído ao longo do tempo. Esteve muito tempo parado e no início da época teve alguma dificuldade em encontrar o seu ritmo. Depois começou a crescer, a encontrar o seu ritmo, a perceber os timings do seu jogo e neste momento dá-nos muitas garantias, mas Cassiano, Zohi, Guo também. Vou explicar porque jogou hoje: nos últimos jogos não marcámos mas criámos muitas ocasiões. E então quis jogar com Schettine, Cassiano e Kiko que são os três jogadores que têm mais golo e estão mais confiantes.”

FORÇA MENTAL: “A capacidade de reagir depois do 1-1 foi o momento. Se não fossemos capazes de reagir naquele momento, não tenho dúvidas que o FC Arouca faria o 1-2. Mas sabíamos disso e na palestra alertei que o jogo seria dividido e que nós teríamos de perceber e focar no que teríamos de fazer, porque haveria momentos connosco por cima, outros com o FC Arouca. Demos uma grande resposta estratégica, mas essencialmente mental.”

ADEPTOS: “A família vizelense é mesmo fantástica. Quem gere o clube tem uma forma de liderar e sensibilidade fantásticas. E esta massa associativa, a atenção que tiveram toda a semana em passar carinho, o acreditar, que iam ser o 12º jogador, que nós íamos ganhar. Eles são mesmo diferenciados. No fim, quis agradecer porque eles são mesmo importantes. E a família vai aumentar, não tenho dúvidas.”

JOGO 100: “Não estava à espera. Também é por isso que este clube é especial e diferente. Não estava à espera, mas não fico surpreendido pelos valores deles. Vizela é diferente e é por isso que luta até ao fim.”