“Mudar a imagem e finalizar melhor”

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Álvaro Pacheco espera um jogo muito difícil e intenso contra o FC Arouca, mas acredita na capacidade de o FC Vizela responder à derrota em casa do Belenenses. Mas é preciso melhorar em alguns níveis.

O treinador do Vizela lançou esta manhã a receção ao Arouca (amanhã, 20h15) tendo como ponto de partida a “excelente” semana de trabalho que se seguiu a um jogo em que a equipa não esteve ao nível habitual. Foi com essas duas premissas que respondeu às perguntas da Imprensa.

HORA DA VERDADE: “Sim, o próximo jogo é em casa, contra um adversário direto. Temos de ir em busca dos três pontos para podermos ter maior conforto e tranquilidade e nos aproximarmos daquele que é o nosso maior objetivo. A equipa treinou bem, está preprarada. São duas equipas parecidas em alguns aspetos. Vêm ambas da II Liga, têm algo em comum na sua ideia de jogo, no sentido de serem duas equipas agressivas, com grande alma, que nunca desistem e lutam sempre até ao fim. É um bocado isto que vamos encontrar. Vai ser um jogo intenso, duas equipas à procura dos três pontos, um bom jogo sem dúvida.”

APATIA DO ÚLTIMO JOGO: “Trabalhamos sobre isso, foi alvo de reflexão. Foi um jogo [Belenenses] que não merecíamos ter perdido, repito, mas também é verdade que não estivemos ao nosso nível. Somos sempre uma equipa com muita entrega, determinação e intensidade, além das boas dinâmicas. E não estivemos ao nosso nível na exibição nem a perceber o jogo. Mas o que esta equipa nos tem mostrado ao longo destes três anos é que quando tem um jogo menos conseguido, consegue depois dar uma grande resposta. É o que esperamos amanhã, que a equipa esteja ao seu nível. Vai estar um ambiebte fantástico, a família vizelense vai estar aqui para nos apoiar.”

DUAS DERROTAS CONSECUTIVAS E INEFICÁCIA: “Concordo que a ineficácia e não marcarmos foi o ponto chave. Mesmo não estando ao nosso nível no último jogo, tivemos ocasiões de golo. Se tivéssemos marcado, hoje se calhar estávamos a falar noutro cenário. Mas foi algo que nós refletimos e também sobre o qual trabalhámos esta semana. Queremos muito ter as nossas dinâmicas ofensivas, mas ter tranquilidade no momento da finalização. Foi uma semana fantástica e não tenho dúvidas, de acordo com os indicadores que eles deram, que a equipa vai estar focada, determinada e vai ser eficaz.”

PRESSÃO POR NÃO GANHAR EM CASA DESDE 30/01: “Não… Eu não olho para isso. A equipa tem de olhar para aquilo que pode melhorar. E para este jogo é mudar a imagem que deixamos no último jogo e melhorar a eficácia. Somos uma equipa com muito caudal ofensivo e é importante finalizar, especialmente nesta fase da época. Costumo fazer as análises por aí. O passado serve de aprendizagem e reflexão, mas temos de nos focar no presente”.

TRÊS MIL SÓCIOS E CRENÇA DOS ADEPTOS: “É claramente para ficarmos na I Liga. Temos vindo a falar da forma como a cidade e adeptos se ligaram a esta equipa, sobre a união da família vizelense. Não tenho dúvidas nenhumas que o clube é para ficar na I Liga e que esse número de associados vai ainda crescer”.