Uma resposta fantástica no fim do sonho

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

O FC Vizela perdeu 1-3 com o FC Porto, mas caiu de pé nos Quartos de Final da Taça de Portugal. Apenas com 10 jogadores do plantel principal, a equipa foi brava e merecia mais.

O FC Vizela caiu nos Quartos de Final da Taça de Portugal, mas o sonho não morreu sem que a equipa desse uma resposta fantástica a fechar uma semana muito complicada, com lesões, casos de Covid-19 e muitas ausências. Na ficha de jogo, 10 jogadores da equipa principal, sete Sub-23 e um Sub-19. Mas nem isso limitou a ambição.

O golo muito cedo do FC Porto (8′), marcado por Matheus Uribe, na sequência de uma bola parada em que Pedro Silva sai da baliza e é tocado por um adversário, não desmoralizou a equipa, que reagiu de imediato e quase empatou por Raphael Guzzo, já na pequena área e em excelente posição. Mas isso foi só o início do crescimento da equipa, que continuou a pegar no jogo, a repartir a posse de bola e a partir sempre à procura do golo, que chegou aos 24′, por Cassiano, que se isolou após passe de Schettine. A festa não fez as tropas baixarem a guarda. Com muita concentração, a equipa esteve sempre segura atrás, com papel de destaque para uma improvisada dupla de centrais (Kiki e Ofori) e um lateral-esquerdo em estreia: Maviram.

O recomeço do jogo não mudou muito a nossa vontade, apesar de o FC Porto ter, nessa fase, assumido mais o jogo e criado também algumas boas oportunidades. Ainda assim, estivemos sempre à procura da felicidade e, mesmo depois do 1-2 de penálti por Fábio Vieira, tivemos mais do que um lance claro para empatar, por Raphael Guzzo e Igor Julião, mas não fomos eficazes. Estivemos, ainda assim, vivos até aos 89′, altura em que Evanílson, de cabeça, fez o terceiro golo para o FC Porto e sentenciou o apuramento. Mas nem isso fechou o jogo, porque a alma desta equipa permitiu-lhe ainda criar mais um lance de golo mesmo a fechar, numa fase em que Ventura (jogou 45′) e Friday Etim já estavam em campo. David Martins e João Ricardo também se estrearam.

FICHA TÉCNICA

FC Vizela 1-3 FC Porto

Local: Estádio do Futebol Clube Vizela (2.860 espectadores)

Árbitro: João Pinheiro (AF Braga)

Assistentes: Tiago Costa / Luciano Maia

4º Árbitro: Fábio Melo (AF Porto)

Vídeo-árbitro (VAR) / AVAR: Fábio Veríssimo (AF Leiria) / Pedro Martins

FC Vizela (4x4x2): Pedro Silva; Igor Julião (David Martins, 90’+4’), Ofori, Kiki e Maviram; Raphael Guzzo, Zag (C), Alex Méndez e Cann (João Ricardo, 90’+4’); Schettine (Friday Etim, 70’) e Cassiano (Ventura, 46’).

Suplentes não utilizados: Nader, Hugo Oliveira e Mohammed.

Treinador: Álvaro Pacheco

FC Porto (4x4x2):  Marchesín; Corona (Pepê, 46’), Mbemba, Fábio Cardoso e Wendell; Otávio (C), Vitinha (Bruno Costa, 83’), Matheus Uribe (Francisco Conceição, 90’+1’), Luis Díaz (Marko Grujic, 90’+1’); Evanílson e Mehdi Taremi (Fábio Vieira, 46’).

Suplentes não utilizados: Diogo Costa e Toni Martínez.

Treinador: Sérgio Conceição

Golos: Matheus Uribe (8’), Cassiano (24’), Fábio Vieira (64’, g. p.) e Evanílson (89’).

Cartões Amarelos: Mehdi Taremi (34’), Matheus Uribe (62’), Ventura (73’), Ofori (75’) e Wendell (79’).

“Sentimos muita força de quem estava de fora. Queríamos o apuramento, mas estamos orgulhosos do jogo que fizemos, num contexto difícil”

Cassiano (jogador do FC Vizela)

“Foi uma semana muito difícil, mas estivemos vivos até ao fim. Queríamos mais, mas demos uma resposta fantástica”

Álvaro Pacheco (treinador do FC Vizela)