Traídos no melhor momento

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

O FC Vizela perdeu o primeiro dérbi com o Moreirense FC na história da I Liga e sofreu na fase em que pegava no jogo A boa reação à desvantagem foi insuficiente.

O FC Vizela não entrou bem no jogo e acabou por dar 45 minutos de avanço ao Moreirense FC, mas foi na fase em que a equipa estava a pegar no jogo e a ser novamente igual a si própria que surgiu o golo de Rafael Martins, que fez a diferença no resultado final. A equipa reagiu e fez o possível para chegar ao empate, mas não conseguiu concretizar as oportunidades de que dispôs.

Num dérbi especial – ou não fosse o primeiro jogo de sempre entre FC Vizela e Moreirense FC na I Liga – a nossa equipa foi inferior ao adversário na primeira parte e superior na segunda. Ainda assim, não conseguiu pontuar, porque também não foi feliz. No início, faltou alguma definição e houve dificuldade de ligação entre sectores, o que abriu algum espaço aos axadrezados, especialmente pelas alas. Foi assim que surgiram as primeiras ocasiões do Moreirense FC. Abdu Conté era, nessa fase, o mais perigoso. Pedro Silva respondeu sempre a preceito e a nossa defesa fez o resto. Anderson, em estreia absoluta, entendeu-se bem com o resto do sector e, apesar do maior tempo de posse de bola do Moreirense FC, íamos resolvendo os lances mais perigosos do adversário.

Curiosamente, as melhores oportunidades foram do FC Vizela, sempre de bola parada. Primeiro, foi Cassiano a cabecear ao lado; depois, golo invalidado ao brasileiro por fora de jogo de Zohi; a seguir, Marcos Paulo bateu bem, mas Kewin fez uma grande defesa.

No segundo tempo, entrámos muito melhor, a controlar o jogo e a começar a ganhar ascendente sobre o adversário, que pouco ou nada se viu nesse período. Aos 59′, porém, na sequência de duas perdas de bola, Rafael Martins rodou bem para a baliza e bateu sem dar hipóteses de defesa a Pedro Silva. A resposta foi pronta. Kewin (66′) voou para evitar o empate de Kiki. No resto do jogo pouco se jogou. O Moreirense FC fez 12 faltas nesse período e sacou da experiência para ir travando os avanços do FC Vizela, que ia carregando com emoção, mas pecou sempre na definição, mesmo quando a situação era favorável.

O final do jogo chegou já depois da expulsão de Koffi e um ou outro contra-ataque do Moreirense FC, que tentava aproveitar o adiantamento da nossa equipa.

FICHA TÉCNICA

FC Vizela 0-1 Moreirense FC

Local: Estádio do Futebol Clube Vizela (2.009 espectadores)

Árbitro: Hugo Miguel (AF Lisboa)

Assistentes: Bruno Jesus e Ricardo Santos

4º Árbitro: Flávio Lima (AF Lisboa)

Vídeo-árbitro (VAR) / AVAR: João Pinheiro / Tiago Costa

FC Vizela (4x3x3): Pedro Silva; Igor Julião (Koffi, 45’), Anderson, Bruno Wilson, Ofori (Kiki, 45’); Marcos Paulo (C) (Raphael Guzzo, 86’), Samu (Alejandro, 86’), Alex Méndez; Kiko Bondoso, Cassiano (Schettine, 58’) e Zohi.

Suplentes não utilizados: Charles, Zag, Tomás e Cann.

Treinador: Álvaro Pacheco

Moreirense FC (3x4x3):  Kewin; Pablo, Steven Vitória (C) e Artur Jorge; Paulinho, Fábio Pacheco (Jambor, 78’), Filipe Soares e Abdu Conté (Pedro Amador, 60’); Walterson (Rodrigo Conceição, 68’), Rafael Martins (André Luís, 78′) e Yan Matheus (Pires, 68’).

Suplentes não utilizados: Pasinato, Rosic, Derik e Franco.

Treinador: Ricardo Sá Pinto

Golo: Rafael Martins (59’).

Cartões Amarelos: Steven Vitória (62’), Jambor (81’), Kewin (88’), André Luís (90+4’), Filipe Soares (90+4’) e Pires (90+7’).

Cartão Vermelho: Koffi (90+7’).

“Sofremos na fase em que estávamos a pegar no jogo. Era um dérbi importante e estamos tristes, mas esta equipa costuma reagir bem.”

Álvaro Pacheco (treinador do FC Vizela)

“Estamos tristes porque queríamos vencer e oferecer a vitória aos adeptos. Agradecemos o apoio e agora vamos olhar em frente e reagir.”

Marcos Paulo (jogador do FC Vizela)