Alma vizelense resgata ponto importante

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

No regresso a casa, depois do ponto garantido em Portimão, o FC Vizela alcançou a quinta igualdade consecutiva na Liga Bwin com recurso à alma que lhe é tão caraterística.

Antevia-se um encontro difícil ou não estivesse pela frente o Santa Clara europeu que acabara de travar o Sporting de Braga em São Miguel.

Nas bancadas, muito bem compostas, o público vizelense procurou sempre dar um forte contributo ao espetáculo, no entanto, a primeira parte nem sempre foi bem jogada.

Marcos Paulo destacou-se na antecipação e o dinâmico Nuno Moreira tentou furar a organização defensiva dos insulares. Aos 25’, o talentoso extremo, de forma acrobática, tentou bater Marco Pereira e, mais tarde, aos 36’, Marcos Paulo, na passada, rematou forte.

Nota negativa para a lesão de Zohi, uma contrariedade para a equipa e para o francês, que teve de abandonar as quatro linhas ainda antes de cumprida a meia hora inicial.

Na etapa complementar, o conjunto de Álvaro Pacheco continuou ligeiramente por cima na posse de bola e no número de oportunidades de golo.

Porém, seria o Santa Clara a chegar à vantagem, por intermédio de Jean Patric. O veloz atacante dos açorianos, lançado no decorrer da segunda parte, havia ameaçado momentos antes, mas, aos 73’, não deu hipóteses de defesa a Charles com um remate seco.

Este lance, conjuntamente com o efusivo apoio vindo das bancadas, que nunca deixou o FC Vizela esmorecer, determinou uma ponta final eletrizante, na qual os azuis dispuseram de situações, não só para empatar, como até para dar a volta ao marcador.

Aos 86’, Kiko Bondoso, de cabeça, fez o esférico rasar o poste e, ao terceiro minuto do tempo extra, Raphael Guzzo também viu o seu remate sair escassos centímetros ao lado.

Até que, com toda a justiça, ao sétimo minuto da compensação, Cassiano vestiu a pele de herói para delírio dos adeptos, finalizando a preceito uma bola endossada por Raphael Guzzo.

Um golo plenamente justificado pelos vizelenses que, uma vez mais, embalados pelo seu público, ainda foram a tempo de resgatar um ponto para a luta, antes da viagem a Setúbal, para a Taça de Portugal.

FICHA TÉCNICA

FC Vizela 1-1 CD Santa Clara

Local: Estádio do FC Vizela (2855 espectadores)

Árbitro: Hélder Malheiro (AF Lisboa)

Assistentes: Rui Cidade e Gonçalo Freire

4º Árbitro: João Mendes

FC Vizela: Charles; Koffi, Bruno Wilson, Ivanildo Fernandes e Kiki; Claudemir, Marcos Paulo (C) (Alex Méndez, 75’) e Samu; Zohi (Kiko Bondoso, 24’), Schettine (Cassiano, 63’) e Nuno Moreira (Raphael Guzzo, 75’).

Suplentes não utilizados: Ivo Gonçalves, Igor Julião, Aidara, Richard Ofori e Tomás Silva.

Treinador: Álvaro Pacheco

CD Santa Clara: Marco Pereira; Rafael Ramos, Tassano, Mikel Villanueva (João Afonso, 46’) e Mansur; Anderson Carvalho (C) (Nené, 84’), Morita e Lincoln; Rui Costa (Jean Patric, 63’), Luiz Phellype (Cryzan, 63’) e Allano (Paulo Henrique, 84’).

Suplentes não utilizados: Ricardo Fernandes, Bouldini, Pierre Sagna e Ricardinho.

Treinador: Daniel Ramos

Golos: Jean Patric (73’) e Cassiano (90’+7’).

Cartões Amarelos: Samu (30’), Marcos Paulo (41’), Lincoln (63’), Kiki (79’), Allano (84’), Jean Patric (90’+2’), Nené (90’+4’), Raphael Guzzo (90’+4’), Ivo Gonçalves (90’+7’) e Koffi (90’+7’).

“O golo tardio é ser Vizela. O mérito é dos jogadores, que acreditaram, e dos adeptos, que deram uma força extra. Se tivéssemos empatado mais cedo, íamos à procura da vitória. Foi pena.”

Álvaro Pacheco (Treinador do FC Vizela)