Tarde de bons regressos e ovações

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

De regresso a casa para comemorar o recente apuramento ao Play-Off de subida, junto dos seus associados e simpatizantes, o resultado habitual dos últimos embates com o São Martinho parecia subsistir até final, mas um golo de bola parada fez com que os pontos seguissem para o vizinho.

O adversário jogava nesta 33.ª e penúltima jornada a sua derradeira “cartada” para se manter na corrida pela segunda vaga de acesso à verdadeira luta pela subida.

Com o futuro imediato resolvido atempadamente, o FC Vizela apresentou-se nesta partida com algumas alterações no seu elenco inicial, exceto na frente de ataque.

A primeira parte não foi nada fácil para o conjunto de Rui Amorim. Um São Martinho igual a si próprio, com os olhos postos na baliza contrária, criou vários problemas à defensiva vizelense.

Logo aos 7’, Vasco Costa apareceu oportuno a desviar na pequena área um cruzamento de Chico, valendo a mancha de Cajó e o alívio de João Pedro, que tinha João Carneiro nas costas.

Respondeu o FC Vizela através de bola parada. Weliton cabeceou ligeiramente por cima, após pontapé de canto, mas não demorou muito nova iniciativa da turma campense.

Nei falhou a interceção ao cruzamento do colega Vasco Costa, aos 18’, sendo que este antigo jogador do Vitória de Setúbal viu Cajó negar-lhe as intenções com uma excelente defesa.

Ainda antes da meia hora inicial, Vitinho conduziu bem o esférico pelo lado direito, enquadrou-se com a baliza e o remate saiu às mãos de Bruno Pinto.

Até ao intervalo, o São Martinho dispôs de mais duas oportunidades, ambas por Nei. Na primeira, o remate saiu por cima, na segunda, foi Cajó a ler-lhe os pensamentos e arrojar-se junto ao solo para realizar mais uma importante intervenção.

Na etapa complementar, o FC Vizela apresentou-se ligeiramente melhor e só não se adiantou no marcador porque Bruno Pinto protagonizou a defesa da tarde. Mas já lá iremos.

À semelhança do primeiro tempo, o São Martinho procurou ameaçar com jogadas simples, mas a primeira grande situação para marcar pertenceu ao conjunto de Rui Amorim.

Estavam cumpridos 58’, quando João Pedro atirou rente ao poste. O capitão dos azuis e brancos recebeu um passe de Vitinho e, já dentro da área, encheu o pé, faltando apenas a direção desejada ao remate.

De imediato, Cajó foi chamado a intervir, segurando um cabeceamento de João Carneiro, depois de uma assistência de George Ofosu, uma das unidades mais perigosas do adversário.

A grande oportunidade do FC Vizela no jogo saiu do pé direito de Maks, aos 62’. Grande pontapé em arco do centro-campista russo a obrigar Bruno Pinto a um voo notável. O guarda-redes, que chegou a vestir a camisola vizelense no final da época anterior, evitou que o esférico seguisse direitinho ao ângulo.

O jogo estava mais vivo e entretido para os adeptos de ambas as equipas, presentes em muito bom número no Estádio do FC Vizela.

Momento então para a primeira ovação da tarde. Zag, afastado dos relvados desde Setembro, foi lançado em campo e nem parecia que tinha estado tanto tempo ausente, devido a lesão.

Logo de seguida, aos 67’, o São Martinho criou perigo por intermédio de Manuel Pedro, obrigando Cajó a defender com os punhos pela linha de fundo.

Praticamente à entrada do quarto de hora final, Diaby provocou sensação de golo ao executar um livre direto às malhas laterais.

Com os vizelenses a viverem o seu melhor período no jogo, Lucas Cunha evitou o pior para a sua equipa ao tirar uma bola cruzada por Fall, que seguia para o bem posicionado Correia.

Pouco depois, aos 82’, foi Zag quem ficou perto de coroar da melhor maneira o seu regresso à equipa. O marfinense não acertou por muito pouco na baliza campense, após excelente passe de Fall, nesta fase a jogar mais descaído sobre a ala.

Curiosamente, o futebol tem destas coisas e o São Martinho chegou ao golo decisivo a cinco minutos do final, por intermédio de Lucas Cunha. O central brasileiro saltou mais alto e cabeceou para o fundo das redes, no seguimento de um livre ao jeito de canto mais curto.

Havia, porém, uma surpresa guardada para os adeptos, que secundarizou por completo o desfecho do encontro: o regresso de Pedro Albergaria à baliza vizelense para se despedir de uma vasta carreira, iniciada no Boavista, da forma que sempre desejou, ou seja, em campo.

Foi a maior ovação da tarde, seguindo-se uma merecida homenagem e uma guarda de honra proporcionada pelos jogadores de ambas as equipas, num momento bonito e que muito orgulha, não só o próprio Pedro Abergaria, mas também o futebol.

Segue-se uma visita a Fafe para cumprir a última jornada da primeira fase do campeonato. Um duelo de fortes tradições e sempre atrativo para os adeptos, que terá início às 17:00 horas de domingo, dia 12 de Maio, duas semanas antes do arranque do decisivo Play-Off.

 

FICHA DE JOGO

FC Vizela 0-1 São Martinho

Local: Estádio do FC Vizela (Vizela)

Árbitro: André Neto (AF Vila Real)

Assistentes: Daniel Santos e Israel Lopes

FC Vizela: Cajó (Pedro Albergaria, 90’); João Pedro (C), Weliton, João Faria e Kaká; Maks (Zag, 66’), Tarcísio e Diaby (Correia, 77’); Vitinho, Fall e André Soares.

Suplentes não utilizados: Igor Rocha, Leandro Souza, Leandro Borges e Rafael Viegas.

Treinador: Rui Amorim

São Martinho: Bruno Pinto; Chico, Tiago Valente, Lucas Cunha e Pedro Rodrigues; Manuel Pedro (C), João Abreu (Ricardo Pinto, 81’) e João Carneiro; George Ofusu (João Sidónio, 89’), Vasco Costa e Nei (Dani, 72’).

Suplentes não utilizados: Kevin Douglas, Sam Diallo, Nuno Moreira e Simão Melhor.

Treinador: Agostinho Bento

Golo: Lucas Cunha (85’).

Cartões Amarelos: Chico (71’), Weliton (84’) e Lucas Cunha (85’).