Grande exibição no regresso do FC Vizela aos triunfos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

No regresso a casa e uma semana depois desse polémico encontro de Oliveira de Santa Maria, o FC Vizela fez uma demonstração da sua valia, vencendo o Merelinense por duas bolas a uma.

Nesta partida, referente à jornada 18 do Campeonato de Portugal, a formação orientada por Carlos Cunha foi muito séria na forma como anulou o adversário, daí que, à superioridade exercida pelos azuis e brancos, apenas tenha faltado acrescentar mais um ou dois golos.

Numa equipa onde o passado de alguns dos protagonistas se cruza inevitavelmente com a história do FC Vizela, casos do antigo capitão Luís Ferraz, de Hélder Sousa ou Homero, sem esquecer o treinador André Cunha, o Merelinense encontrou pela frente muitas dificuldades.

Uma pressão imediata e eficaz sobre o portador da bola, um tremendo sentido posicional de toda a equipa e uma dianteira sempre empenhada e preparada para colorir o marcador foram alguns dos principais créditos que permitiram aos vizelenses um jogo tão bem conseguido.

Desde muito cedo, o FC Vizela instalou-se no meio-campo dos forasteiros e a primeira ameaça surgiu dos pés de João Paredes. Forte disparo do jovem avançado para defesa incompleta de Rui Rego, logo aos 5’ de jogo.

Em seguida, Felipe Augusto foi bem desmarcado por Joni, mas a rápida intervenção de Rodrigo Borges inviabilizou os primeiros festejos ao jogador vizelense.

Respondeu o Merelinense, aos 8’, por intermédio do brasileiro Agdon que, de cabeça, desviou com perigo um cruzamento de André Perre.

Claramente mais ofensivo, o FC Vizela continuou a dar mostras de querer balançar com as redes de Rui Rego o quanto antes. Evrard e Joni, ambos de fora da área, testaram os seus pontapés, mas foi à passagem do quarto de hora inicial que os vizelenses estiveram mais perto do golo.

Belo lance trabalhado sobre o lado esquerdo com Amian a efetuar o cruzamento, Felipe Augusto a deixar passar o esférico e Correia, por pouco, não finalizou a preceito.

Aos 20’, o Merelinense voltou a criar perigo através dos mesmos intervenientes. André Perre, na direita, a cruzar e Agdon, no coração da pequena área, a cabecear à figura de Pedro Albergaria.

Mais uma vez, os vizelenses recorreram à meia distância para alvejar a baliza contrária. André Pinto foi o autor do remate, que saiu ligeiramente por cima, após passe de Amian (33’).

O melhor corolário do ascendente azul e branco na etapa inicial aconteceu já bem perto do intervalo, aos 41’. João Paredes, numa daquela arrancadas que lhe é caraterística, fez tudo bem pelo corredor direito, servindo Correia de bandeja para o 1-0. Foi o terceiro jogo consecutivo a marcar por parte do “camisola 18”.

O segundo tempo iniciou-se com um ligeiro atrevimento do Merelinense que, aos 47’, viu Cadú cabecear por cima, na sequência de uma bola cruzada por Miguel Fernandes. Mais tarde, aos 51’, o mesmo Miguel Fernandes atirou ligeiramente por cima na execução de um livre direto.

O atrevimento do adversário durou pouco, já que o FC Vizela rapidamente demonstrou vigor de equipa grande na manobra ofensiva. Primeiro, Rodrigo Borges evitou na “hora H” que Correia pudesse bisar na partida, após bom trabalho de Felipe Augusto na esquerda.

Logo a seguir, aos 54’, João Paredes rematou cruzado a rasar o poste direito da baliza de Rui Rego e, de rajada, o mesmo João Paredes viu o esférico beijar a trave, numa insistência de Miguel Oliveira, resultante de um livre executado por Joni.

O segundo golo do FC Vizela esteve por diversas vezes iminente nesta fase do jogo. Aos 57’, numa transição rápida, foi Correia, bem servido por Felipe Augusto, que atirou ao lado.

No entanto, todos estes lances prenunciavam aquilo que aconteceu aos 58’. Desta vez, os papéis inverteram-se com Correia, a passe de Felipe Augusto, a servir muito bem o colega João Paredes para a entrada triunfal. Mais um bom desenho do trio atacante vizelense, efusivamente festejado pela massa associativa.

O excelente entendimento entre os atacantes do FC Vizela possibilitou mais uma situação de potencial perigo (68’). Correia só não finalizou o lance, porque um defensor contrário fez um corte providencial na assistência de João Paredes, após bela iniciativa individual pelo lado direito.

O terceiro golo do FC Vizela esteve próximo de ser realidade na reta final do encontro.

Primeiro, Aziz, num grande rasgo pela esquerda (82’), permitiu a defesa. Depois, foi João Paredes, em dose dupla, quem tentou o chapéu, após belíssima assistência de Amian (83’), e quem viu Rui Rego negar-lhe o golo, numa desmarcação promovida por Carlos Fortes.

Em tempo de compensação, o Merelinense reduziu a diferença por intermédio de Zé Diogo que, de cabeça e ao primeiro poste, bateu Pedro Albergaria na resposta à solicitação de Vasco Cruz.

A partida terminaria pouco depois, ficando para a história o regresso aos triunfos, a manutenção da invencibilidade e um grande desempenho do FC Vizela, que justificava mais golos.

Conservada assim a distância pontual relativamente a Fafe (8 pontos) e Vilaverdense (11 pontos), o conjunto de Carlos Cunha prepara-se agora para um dos grandes duelos da temporada, já que visita precisamente a formação de Vila Verde, no próximo domingo, dia 04 de Fevereiro.

 

FICHA DE JOGO

Local: Estádio do FC Vizela (Vizela)

Árbitro: Pedro Maia (AF Porto)

Assistentes: Hélder Casanova e Pedro Silva

FC VIZELA: Pedro Albergaria (C); Diogo Lamelas, Miguel Oliveira, Weliton e Amian; Evrard, André Pinto (João Oliveira, 61’) e Joni (Aziz, 80’); João Paredes, Correia e Felipe Augusto (Carlos Fortes, 72’).

Suplentes não utilizados: Rafa, João Cunha, Gabi e Dani.

Treinador: Carlos Cunha

MERELINENSE: Rui Rego; Vasco Cruz, Rodrigo Borges (Diogo Vila, 80’), Cadú e Miguel Fernandes; Beck (C) (Zé Diogo, 45’), Luís Ferraz e Hélder Sousa (Jaiminho, 64’); André Perre, Agdon e Homero.

Suplentes não utilizados: Marcos, Davide Caseiro, Tijane e Jorginho.

Treinador: André Cunha

Golos: Correia (41’), João Paredes (58’) e Zé Diogo (90+1’).

Cartões Amarelos: Hélder Sousa (42’), Evrard (50’) e Vasco Cruz (90+2’).