Vizela talismã das Seleções

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Equipa principal feminina bateu 2-1 a Bélgica e segue para o último play off de acesso ao Mundial 2023. Vizelenses corresponderam em apoio como tem sido norma.

Em Vizela, Portugal ganha. Já havia sido assim com os Sub-21 há um ano (11-0 ao Liechtenstein), depois com a Seleção A feminina em setembro (4-0 à Turquia) e agora novamente com as meninas da seleção principal e num jogo muito mais decisivo e difícil. Contra a Bélgica, no primeiro dos dois play-offs europeus de acesso ao Mundial 2023, que se disputa na Nova Zelândia, Portugal venceu por 2-1 e cumpriu a tradição em Vizela. Tradição é também o apoio do público: 2500 gargantas puxaram pelas Quinas e empunharam orgulhosas bandeiras. Foi bonito de ser ver. Parabéns Portugal, parabéns Vizela e boa sorte em Paços de Ferreira na próxima terça, para o também decisivo encontro com a Islândia.

(TEXTO E IMAGENS DA FPF)

Portugal venceu a Bélgica, esta quinta-feira, por 2-1, garantindo assim a presença na segunda eliminatória do ‘play-off’ de acesso ao Mundial de 2023. O próximo obstáculo da Equipa das Quinas chama-se Islândia.

VEJA AQUI AS PRINCIPAIS INCIDÊNCIAS DA PARTIDA

O jogo era de tudo ou nada e só um triunfo serviria como passaporte para a segunda eliminatória. Terá sido por isso que a armada lusa se instalou cedo no meio-campo das belgas e galopou, com clara intenção, rumo ao primeiro golo. 

FOTOGALERIA

Numa das investidas lusas aos domínios da Bélgica, Joana Marchão, na esquerda, tirou um cruzamento venenoso que Diana Silva soube aproveitar. A atacante do Sporting desviou a bola no coração da área, com a coxa esquerda, para o fundo da baliza, deixando a Equipa das Quinas em vantagem aos 29 minutos.

Antes do intervalo, numa jogada contra a corrente do jogo, a Bélgica empatou a partida, na transformação de uma grande penalidade, batida pela capitã Tessa Wullaert.

O descanso funcionou bem para a Bélgica, que regressou mais forte, mas Portugal manteve sereno e organizado sobre o relvado do Estádio do FC Vizela, espreitando o golo como no primeiro tempo.

Depois de ter ameaçado a baliza belga aos 50 minutos, numa ‘bomba’ que a guarda-redes Evrard conseguiu defender, Fátima Pinto conseguiu o golo da vitória que continua a alimentar o sonho do Mundial: a centrocampista apareceu junto ao poste a finalizar de cabeça. 

Perto do fim, a Bélgica fez saltar do banco de suplentes as jogadoras mais altas que tinha, mas não conseguiu alterar o resultado no marcador.

Na próxima terça-feira, Portugal volta a entrar em ação, desta feita frente à Islândia, no Estádio da Capital do Móvel, em Paços de Ferreira. O jogo está marcado para as 18h00 e passa novamente em direto na RTP1.

As contas do apuramento para o Mundial
Depois de duas presenças em fases finais de Europeus, em 2017 e em julho último, em Inglaterra, a Seleção Nacional alimenta o sonho de chegar pela primeira vez a um Campeonato do Mundo, tendo no seu caminho, para já, mais uma eliminatória em solo nacional.

Se vencer a Islândia, Portugal qualifica-se para o Mundial, se estiver entre as duas melhores seleções das três europeias que se apuram via ‘play-off’. 

Se for o pior dos três apurados, a conjunto luso terá de disputar um ‘play-off’ intercontinental, na Nova Zelândia, que ditará as derradeiras três vagas, com Taiwan, Tailândia, Camarões, Senegal, Papua Nova Guiné, Haiti, Panamá, Chile e Paraguai.

A fase final do Mundial feminino realiza-se na Austrália e na Nova Zelândia, de 20 de julho a 20 de agosto de 2023.

Ficha de jogo

Play-off de acesso ao Campeonanto do Mundo de 2023 
Ronda 1
Estádio do FC Vizela

Árbitra: Kateryna Monzul (Ucrânia)
Árbitros assistentes: Maryna Striletska e Svitlana Grushko (Ucrânia)
4.ª árbitra: Ivana Projkovska (Macedónia)
VAR: Paolo Valeri (Itália)
AVAR: Daniele Doveri (Itália)

Portugal-Bélgica (1-1 ao intervalo)

PORTUGAL: Patrícia Morais, Ana Borges , Diana Gomes, Carole,  Joana Marchão, Fátima Pinto, Dolores Silva – Cap. (Andreia Jacinto, 79′), Tatiana Pinto, Andreia Norton (Vanessa Marques, 90’+6), Diana Silva e Jéssica Silva (Ana Capeta, 79′).
Suplentes não utilizadas: Inês Pereira, Rute Costa, Lúcia Alves, Bruna Lourenço, Suzane Pires, Andreia Faria, Kika Nazareth, Telma Encarnação
Treinador: Francisco Neto
Golos:  1-0 Diana Silva (29′); 2-1 Fátima Pinto (89′)
Disciplina:  amarelo mostrado a Joana Marchão (38′)

BÉLGICA: Evrard, Deloose, Sari Kees, Laura De Neve (Tysiak, 80′), Philtjens, Janice Cayman, Missipo, Biesmans, Elena Dhont (Delacaw, 68′), Van Kherkhoven, Tessa Wullaert – Cap.
Suplentes não utilizadas: Lemey, Lichfuts, Lemey, Lichtfus, Wijnants, De Caigny, Eurlings, Vanhaevermaet, Vanmechelen, Vangheluwe, Minnaert e Janssens
Treinador: Ives Serneels
Golos: 1-1 Tessa Wullaert de g.p. (40′)
Disciplina: amarelo mostrado a Jacine Cayman (20′), Philtjens (63′). Vermelho mostrado a Tysiak (87′)