A vitória que já tardava

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Um golo de Anderson selou o triunfo (1-0) sobre o Portimonense, num jogo globalmente equilibrado e em que o FC Vizela soube ser maduro. Equipa não vencia desde a primeira jornada.

O FC Vizela regressou aos triunfos e celebrou a primeira vitória em casa da época às custas de um golo solitário de Anderson, o segundo nesta edição da Liga Portugal bwin. Num jogo globalmente equilibrado, as equipas quiseram sempre jogar para ganhar e, por isso, os dois guarda-redes acabaram por ser, também destaque. No final, foi mais feliz o Vizela, o que se aceita.

O primeiro lance de golo do jogo aconteceu logo aos 7′, com Buntic a fazer uma excelente intervenção após remate de Rui Gomes. Aos 13′, resposta do FC Vizela, na sequência de um lance de bola parada em que Tomás Silva carrega e Anderson aproveita uma segunda bola para marcar. O ritmo frenético dos primeiros 15 minutos anunciava uma primeira parte agitada, mas a verdade é que isso ate não aconteceu. O FC Vizela conseguiu estancar a reação do Portimonense e o ritmo baixou, porque os algarvios poucas vezes conseguiam definir bem no último terço e, mesmo através de lançamentos longos e cruzamentos, não foram criteriosos. Anderson e Ivanildo limpavam tudo e o meio-campo do Vizela impedia que o Portimonense se instalasse nessa zona. Mesmo depois de Claudemir sair lesionado . A verdade é que com exceção de um remate acrobático de Samu logo aos 17 minutos e, depois, uma bomba de Luquinhas (40′) ambas a rasar os ferros, pouco mais aconteceu.

A segunda parte foi muito diferente em termos de emoção. E começou com dois lances soberanos. No primeiro (48′), Buntic faz uma defesa assombrosa com Yago Cariello isolado. A seguir, resposta pronta de Nakamura (51′), que só por milagre evita um autogolo do Portimonense. Yago continuava a ser o homem mais dos algarvios, mas Buntic superiorizava-se e aos 58′ voltou a afastar o perigo, da mesma forma que o fez aos 68′, agora de forma mais vistosa. O jogo estava aberto e o Portimonense vivia a melhor fase da partida, o que abria espaço ao contra-ataque do Vizela. E foi nessa fase, entre os 76 e os 78 minutos) que aconteceram as duas ocasiões mais flagrantes do jogo. Kiko sempre em ação pela direita em contra-ataques de dois para um. No primeiro serviu Osmajic, que atirou à trave. No segundo foi Nakamura a desviar o remate do Mágico também para a trave. O jogo ficava perigoso, mas foi nessa fase que apareceu a maturidade adquirida pelo Vizela, que geriu bem o último quarto de hora e até foi mais perigoso nesse período com Kiko, novamente, a permitir a defesa de Nakamura, agora de longe, antes de Buntic segurar no chão o último lance do jogo, já no sexto minuto de descontos.

FICHA TÉCNICA

FC Vizela 1-0 Portimonense SC

Local: Estádio Futebol Clube Vizela (2435 espectadores)

Árbitro: António Nobre

Assistentes: Pedro Ribeiro e Nélson Pereira

4º Árbitro: Bruno José Costa

Vídeo-árbitro (VAR) / AVAR: Rui Oliveira / Nélson Cunha

FC Vizela (4x3x3): Buntic; Tomás (Carlos Isaac, 87’), Anderson, Ivanildo, Kiki (C); Mendez (Rashid, 86’), Claudemir (Guzzo, 20’), Samu; Kiko Bondoso, Alexander Schmidt (Osmajic, 58’), Nuno Moreira (Zohi, 86’).

Suplentes não utilizados: Manuel Baldé, Diego Rosa, Aidara e Sarmiento

Treinador: Álvaro Pacheco

Portimonense SC (4x2x3x1): Kosuke; Fahd Moufi (C), Pedrão, Relvas (Ouattara, 80’), Gonçalo Costa (Klismahn, 71’); Paulo Estrela (Diaby, 72’), Henrique Jocu (Yago Cariello, 32’); Luquinha, Ewerton (Sapara, 71’), Rui Gomes; Rochez.

Suplentes não utilizados: Berke Ozer, Ricardo Matos, Vinicius Szeuczuk, Bruninho

Treinador: Paulo Sérgio

Golos: Anderson (14’)

Cartões Amarelos: Nuno Moreira (2’), Pedrão (16’), Kiki (44’), Ivanildo Fernandes (47’), Sapara (85’), Rochez (90+3’)

Cartões Vermelhos:  Nada a assinalar

“Este prémio sabe muito bem porque representa uma vitória que há muito procurávamos e já merecíamos. Estamos muito felizes. Obrigado pelo apoio”

Anderson (jogador do FC Vizela)

“A vitória acaba por assentar bem naquilo que foi o desempenho dos meus jogadores, mas, sem dúvida nenhuma, estes adeptos foram fundamentais para a conquista dos três pontos”

Álvaro Pacheco (treinador do FC Vizela)