Koffi e Julião foram Craques da Leitura

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Iniciativa da AF Braga contou com o apoio do FC Vizela e levou os dois jogadores à escola. Mais de uma centena de alunos recebeu os vizelenses em euforia.

Numa iniciativa da AF Braga em parceria com os vários concelhos da área geográfica e os respetivos clubes, Igor Julião e Koffi foram na tarde de terça-feira à Escola Básica de Caldas de Vizela para participar no evento “Craques da Leitura”. No fundo, os dois laterais direitos do FC Vizela explicaram a uma plateia entusiasta – foram dezenas as camisolas e cachecóis na sala e os 120 alunos foram ruidosos que baste – que a leitura é fundamental para a aquisição de conhecimento e para o desenvolvimento de faculdades que podem ajudar em qualquer área, como o futebol.

Cada um dos jogadores apresentou um livro muito específico aos alunos. Igor Julião foi o primeiro e leu uma passagem que explica porque razão no Brasil nascem tantos jogadores talentosos. Koffi falou sobre a importância da linguagem no futebol, ele que fala português, francês e inglês e está a aprender espanhol. “Quando cheguei não falava nada, apenas francês, e tive três meses muito difíceis. Não percebia nada. Então tive aulas de português e li muito. Hoje, em campo, consigo falar português com o Igor, por exemplo, francês com outros jogadores, inglês também. Deixei de me sentir sozinho no balneário e passei a perceber os meus treinadores e isso fez-me evoluir na profissão”, destacou.

Igor alertou para o facto da “democratização” que o livro permite, pois coloca ricos e pobres em plano de igualdade em matéria de informação. “Ler muito permitiu-me falar da mesma forma com um ex-presidente do Brasil e com vocês, que ainda são jovens”, exemplificou, aproveitando para recordar os alunos que devem aproveitar as excelentes condições da escola e do ensino gratuito. “No Brasil, um ensino destes paga-se”, vincou.

Seguiu-se uma sessão de perguntas e respostas sobre outras temáticas e depois os autógrafos e fotografias. Foi quase uma hora e os nossos craques não se pouparam a sorrisos nem simpatia. E quanto isso, os alunos cantavam pelo Vizela. Koffi tem como referência Daniel Alves. Igor escolheu Sócrates, o antigo jogador brasileiro, pelo que jogava e por ter sido uma voz ativa na abolição da ditadura do Brasil. O nosso craque aproveitou também para alertar para o valor do desporto feminino e pediu e sublinhou que ninguém em Vizela tem medo dos grandes. “De onde eu venho temos medo é de não ter comida na mesa ou sermos assassinados a caminho da escola”, apontou. Ambos “muito felizes” no Minho, Koffi até diz que nesta altura já se sente cidadão vizelense.

Resta dizer que, na Sala, estavam o presidente da AF Braga, Manuel Machado, o vice-presidente, Pedro Sousa, o vereador do desporto da Câmara de Vizela, Rui Ferreira, e a vereadora da educação, Agostinha Freitas.