Álvaro Pacheco: “90 segundos não chegam para o que me vai na alma”

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Álvaro Pacheco pede respeito e apontou o factual: 11 para 11, o Paços de Ferreira nunca passou do meio-campo.

O treinador do FC Vizela apresentou-se na flash-interview por respeito ao futebol, mas tentou controlar-se para evitar um prejuízo ainda maior para a equipa, que já ficou privada de Cassiano e Samu para o próximo desafio.

“Estou aqui por respeito ao público e à família vizelense, que tem sido fantástica, porque não tenho vontade nenhuma de estar aqui. Dizem em 90 segundos o que me vai na alma… não conseguiria falar sobre as incidências do jogo. O FC Vizela trouxe valores importantes, formas de estar e de conviver diferentes a esta Liga e acho que não há respeito por este clube, pela cidade e pelos adeptos. Devíamos ser vistos de outra forma e deviam respeitar-nos. E se eu falasse do jogo… Já tive dois jogadores expulsos, eu também seria e não quero ser. Quero ser exemplo, não só para os meus jogadores, mas também para quem está em casa. Perdi e não quero estar a incentivar outras coisas. Até à expulsão [Cassiano viu o vermelho aos 8’], o Paços de Ferreira não passou do meio-campo. E isso é factual. Isso é factual.”