Rashid fechado e “ansioso” por começar

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Médio iraquiano estava nos Emirados Árabes Unidos, depois de ter jogado na Turquia, mas ficou conhecido pelo que fez no Santa Clara. Assinou até 2023 e aconselhou-se com Schettine.

Osama Rashid é reforço do FC Vizela para o meio-campo e já assinou um contrato válido até junho de 2023. O médio iraquiano está de regresso a Portugal, dois anos depois de ter saído do Santa Clara rumo ao Gaziantep, da Turquia. Estava, atualmente, no Khorfakkan, dos Emirados Árabes Unidos

“Tenho boas expectativas. Estou ansioso por começar. Já tinha saudades de Portugal e também por isso abracei este projeto. Hoje em dia todos falam do FC Vizela, o FC Vizela está a fazer um bom trabalho e estou com muita vontade de fazer parte deste clube, desta família, desta cidade”, disse à chegada o médio de 30 anos, que acredita poder acrescentar maturidade à equipa. “Sou um jogador que traz experiência a esta equipa. Sou um médio multifuncional e mais um para ajudar a equipa. Acredito que vai correr tudo bem”, acrescentou, a propósito.

O novo 7 da equipa já treina amanhã às ordens de Álvaro Pacheco. Em campo vai reencontrar Schettine, com quem jogou no Santa Clara. Foi nos Açores que o iraquiano se deu a conhecer aos portugueses. Foram 123 jogos em quatro épocas e meia. Marcou 25 golos e ofereceu mais sete. Antes, no SC Farense, havia disputado 44 desafios e apontado sete tentos. “Joguei com o Schettine no Santa Clara. Lá tivemos uma grande equipa, mas ele diz que esta equipa é ainda melhor. Por isso tenho boas expectativas”, atirou, com água na boca também pelo que tem ouvido de forma geral. “Hoje em dia ter um bom balneário e uma boa estrutura é muito importante, dá muita estabilidade. Para a adaptação de um jogador, isso é muito importante”, somou-

Convicto da permanência do FC Vizela na I Liga, Rashid contou-nos porquê. “O plantel tem muita qualidade. O Vizela esteve uma vez na I Liga e só ficou uma temporada, acredito muito que este ano vamos escrever história. Acredito na permanência”, começou por explicar, antes de pormenorizar e apontar a um futuro maior. “Já conhecia o Vizela e o projeto. Já sabia que era um clube a crescer muito. Depois do interesse falei com muitas pessoas e todas disseram que a estrutura era muito boa e tinha um ambiente muito familiar, algo que valorizo muito e é muito importante para ter sucesso. Espero que o clube continue a crescer e eu possa fazer parte do projeto durante muitos anos.”