Álvaro Pacheco: “Os sonhos às vezes são possíveis…”

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Treinador explicou triunfo sobre o SC Braga, lembrou jogo anterior com o mesmo adversário e continua a apontar à vontade de sonhar com o Jamor. Há 32 anos que o FC Vizela não chegava tão longe!

Álvaro Pacheco elogiou o trabalho da equipa e recordou ainda que há dois anos só via estes jogos pela televisão. O processo de aprendizagem dá razões ao sonho. Leia toda a flash interview.

NOITE HISTÓRICA: “Estes jogadores, este clube, esta administração, a forma como o clube tem crescido, todos merecem isso. O FC Vizela tem conseguido fazer história. Ao nível da Taça, conseguimos igualar o recorde anterior e estamos de parabéns. O objetivo de manter o sonho de chegar ao Jamor foi conseguido. Foi uma competição diferente da que tivemos com o FC Porto. Se perdêssemos, ficávamos fora. Tínhamos que entrar com uma vontade grande de ganhar e, acima de tudo, saber reagir às adversidades. Parece repetido o que vou dizer, mas esta é uma equipa que acaba de chegar à I Liga e muitos dos que jogaram hoje estão a fazer esse percurso. É importante também eles irem crescendo e adaptarem-se. Há dois anos estávamos a ver jogos deste género na televisão e agora estamos a ser capazes de jogar e encurtar aquela distância de uma equipa que acaba de chegar à primeira divisão. Deve-se à atitude, ao comportamento e à ambição que os meus jogadores têm. Acabámos por ser felizes pelas incidências que aconteceram no jogo, mas penso que merecemos.”

ANÁLISE AO JOGO: “Tínhamos como objetivo entrar muito fortes e marcar, porque sabíamos que o SC Braga vinha de uma situação instável e podíamos beneficiar disso. Se marcássemos o golo, teríamos maior controlo sobre o jogo. E foi isso que aconteceu. Fomos capazes de entrar fortes e controlámos o jogo. Foi uma partida que ficou marcada também pelas expulsões. Não acredito que tenha sido por maldade, mas são as regras. Já disse isso na semana passada, a propósito da expulsão do Schettine.”

JOGOS COM OS GRANDES: “Aquilo que os dados nos deram é que havia, e há, uma diferença muito grande para os três grandes, o SC Braga e o Vitória SC. A nossa tarefa é perceber dentro da competição como podemos encurtar essa distância e como podemos crescer. Aquilo que fizemos foi perceber as diferenças que havia e que padrões podiam existir neste jogo para sermos capaz de testar com o SC Braga. As coisas correram bem. Também tirámos ensinamentos do jogo anterior com o SC Braga para o campeonato.”

SONHO DO JAMOR: “É o sonho de quem está nesta prova, é um sonho de criança estar no Jamor e participar na final da Taça de Portugal. Enquanto for possível, vamos acreditar no sonho, porque os sonhos às vezes são capazes de ser alcançados.”