Reação após o intervalo foi insuficiente

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Derrota pesada do FC Vizela resulta de uma primeira parte abaixo do nível habitual. Melhorámos no segundo tempo, mas o míssil de Koffi não bastou.

Duas partes completamente distintas, mas a segunda completamente refém da primeira para o desfecho final do jogo. O FC Vizela esteve a um nível muito abaixo do habitual na primeira parte e o SC Braga aproveitou para ser superior a todos os níveis, beneficiando dos espaços e das constantes perdas de bola da nossa equipa para se ir abeirando da baliza de Charles. Foi assim que começaram a surgir os primeiros focos de problemas, que resolvemos com a intervenção do guarda-redes ou com alguns desarmes importantes já perto da nossa baliza.

Infelizmente, tantas vezes o SC Braga se aproximou que acabou por marcar. Ricardo Horta, isolado por Iuri Medeiros, bateu Charles. Corria o minuto 27. Pouco ou nada mudou depois, apesar de Cassiano ter tido nos pés uma soberana oportunidade de empatar, pouco depois. O brasileiro antecipou-se na pequena área, mas a bola saiu a rasar o poste. O SC Braga voltou a carregar e o FC Vizela aguardava pelo empate para retificar. Mas no penúltimo minuto da primeira parte, penálti para os arsenalistas e 2-0. Tudo cada vez mais difícil. Pelos números e pela reação que não se tinha. O SC Braga tinha 67% de posse de bola contra apenas 33% do FC Vizela. 11 remates contra 3. Isso dizia tudo.

A resposta chegou no início da segunda parte e o primeiro sinal de vida até é nosso, mas o 3-0 de Raul Silva, num lance de bola parada, aos 57′, desmoronou qualquer possibilidade de retoma. Nessa altura, porém, viu-se o caráter da nossa equipa. O FC Vizela assumiu, passou a ter bola e a criar, finalmente, lances com boas possibilidades de finalização. Kiko ameaçou, Cassiano também, mas foi Koffi, a aproveitar uma bola solta, que rematou com força para o 3-1. Faltavam 17 minutos, a nossa equipa acreditava e foi-se batendo por algo mais. Infelizmente não o conseguiu e, em contra-ataque, já no período de tempo extra, o SC Braga fez o 4-1, por Abel Ruiz. Resultado pesado, mas justo, que não deslustra, ainda assim, a boa segunda parte: 57% de posse de bola para nós contra 43% do adversário e 6-5 em remates.

FICHA TÉCNICA

SC Braga 4-1 FC Vizela

Local: Estádio Municipal de Braga (Braga)

Árbitro: Vítor Ferreira (AF Braga)

Assistentes: Nélson Cunha e Luís Costa

4º Árbitro: Fábio Silva (AF Braga)

SC Braga (3x4x3): Matheus; Paulo Oliveira, Raul Silva (Bruno Rodrigues, 73’) e Diogo Leite; Yan Couto (Fabiano, 83’), André Horta (Lucas Mineiro, 68’), Castro e Moura; Iuri Medeiros (Lucas Piazón, 73’), Vitinha (Abel Ruiz, 68’) e Ricardo Horta (C).

Suplentes não utilizados: Tiago Sá, Mario González, Chiquinho e Roger.

Treinador: Carlos Carvalhal

FC Vizela (4x3x3): Charles; Koffi, Ivanildo Fernandes, Aidara e Richard Ofori; Zag (C) (Tomás, 77’), Raphael Guzzo (Marcos Paulo, 52’) e Samu; Alex Méndez (Zohi, 65’), Cassiano e Kiko Bondoso.

Suplentes não utilizados: Pedro Silva, Bruno Wilson, Maviram, Alejandro, Nuno Moreira e Cann.

Treinador: Álvaro Pacheco

Golos: Ricardo Horta (26’ e 44’, g. p.), Raul Silva (56’), Koffi (71’) e Abel Ruiz (90’+2’).

Cartão Amarelo: Moura (84’).

“A nossa primeira parte foi muito fraca. Depois do meu golo ainda acreditamos em algo mais, mas o SC Braga teve mérito e mereceu vencer.”

Koffi (jogador do FC Vizela)

“Faltou mentalidade na primeira parte. Tivemos medo. Não fomos o FC Vizela. O resultado foi justíssimo. Melhorámos na segunda parte e já tivemos a identidade habitual, mas o 3-0 matou o jogo.”

Álvaro Pacheco (treinador do FC Vizela)