Apuramento resolvido com serenidade

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

A estreia do FC Vizela na prova rainha do futebol português aconteceu no Estádio do Bonfim, um palco emblemático que assistiu a uma prestação competente dos azuis, com o apuramento a ficar resolvido tranquilamente na primeira parte.

O destino ditou o reencontro de FC Vizela e Vitória de Setúbal três décadas depois: novamente a contar para a 3ª eliminatória e também num dia 17, tal como em 1991.

Desta vez, a história foi diferente com os azuis da cidade termal a levarem de vencida o conjunto sadino por duas bolas sem resposta e a garantirem o apuramento para a quarta ronda da Taça de Portugal, superando o registo da época anterior.

Apesar da diferença no que concerne ao patamar competitivo de ambas as equipas, os jogadores de Álvaro Pacheco encararam o jogo de forma muito séria e rubricaram uma exibição positiva.

Com algumas novidades no onze, acabou por ser Alex Méndez uma das principais figuras do desafio. O norte-americano estreou-se a marcar pelo FC Vizela: um golo pleno de oportunidade assinado à passagem do minuto 27, no complemento a uma boa assistência de Tomás Silva.

Logo a seguir, aos 29’, momento bonito no Bonfim com o jogo a parar para o aplauso de equipas e adeptos a Semedo, experiente jogador dos sadinos que vive um período difícil da sua vida, devido ao súbito falecimento da sua esposa.

Mais tarde, aos 37’, Alex Méndez voltou a estar em evidência ao descobrir Nuno Moreira na área, que depois assistiu Schettine para o segundo dos vizelenses, deixando a equipa numa situação de conforto para o resto do encontro.

No segundo tempo, assistiu-se a uma gestão controlada dos acontecimentos por parte da turma de Álvaro Pacheco, que, ainda assim, não deixou de espreitar um terceiro golo.

Do encontro, ainda duas notas de registo: positiva, por um lado, com o regresso de Zag à competição quase um ano depois; negativa, por outro, com a lesão de Cassiano numa fase ainda muito precoce do encontro. O goleador brasileiro ressentiu-se da lesão que o vinha apoquentando e que o retirara dos jogos anteriores.

Objetivo cumprido e passaporte garantido para mais uma eliminatória da Taça de Portugal, uma prova na qual os vizelenses têm deixado muito boa imagem nas últimas épocas.

FICHA TÉCNICA

Vitória FC 0-2 FC Vizela

Local: Estádio do Bonfim, em Setúbal (cerca de 700 espectadores)

Árbitro: Hugo Miguel (AF Lisboa)

Assistentes: Bruno Jesus e Hugo Ribeiro

4º Árbitro: José Rodrigues

Vitória FC (4-3-3): João Valido; Mano, François, Bruno Bernardo e Nuno Pinto (C) (Daniel Martins, 83’); Murilo (André Pedrosa, 46’), Robson (Gonçalo Batista, 75’) e Bruno Ventura; José Varela, Bruno Luz (Mendy, 46’) e Kamo-Kamo (Rodrigo Pereira, 83’).

Suplentes não utilizados: Josué Duverger e Bruno Almeida.

Treinador: António Pereira

FC Vizela (4-3-3): Ivo Gonçalves; Igor Julião, Bruno Wilson, Ivanildo Fernandes e Richard Ofori; Tomás Silva (Zag, 60’), Raphael Guzzo (Marcos Paulo, 60’) e Samu (C); Alex Méndez (Cann, 60′), Cassiano (Schettine, 12’) e Nuno Moreira (Kiki, 87’).

Suplentes não utilizados: Manuel Baldé e Aidara.

Treinador: Álvaro Pacheco

Golos: Alex Méndez (28’) e Schettine (37’).

Cartões Amarelos: Bruno Bernardo (53’), Mano (57’), Cann (65’) e Ivo Gonçalves (84’).

“As duas equipas procuraram o golo, mas a vitória é justa. Tentámos manter sempre o nosso ADN.”

Álvaro Pacheco (Treinador do FC Vizela)