Álvaro Pacheco: “As coisas não estão resolvidas só por voltarmos a casa”

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Feliz na véspera da estreia da cidade na I Liga, Álvaro Pacheco reconhece a felicidade por jogar finalmente em casa, mas alerta para a euforia desmedida e para a importância de a controlar. Numa conferência de imprensa muito bem disposta, o treinador recordou que a imagem positiva é para manter e apaixonar o país do futebol é um dos objetivos de um FC Vizela, que conta já com Zag à disposição. Uma exemplo de superação, explica o mister. Descubra porquê…

REGRESSO A CASA: “É muito bom regressar a casa, estar junto da nossa família, que amanhã estará cá toda reunida. Mas mantemos a responsabilidade e não podemos achar que só pelo facto de voltarmos a casa as coisas estarão resolvidas e a vitória alcançada. Não é assim. Temos um trabalho árduo pela frente, temos de ser responsáveis. Temos de ser iguais a nós próprios, como fomos neste início do campeonato, destemidos, mas responsáveis. Aumentar essa responsabilidade por estar em casa era importante. Mas temos de jogar o nosso jogo de forma séria, corajosa e ambiciosa.”

IMAGEM POSITIVA DO VIZELA: “Concordo. Um dos nossos objetivos era manter a imagem de marca, ter um futebol atrativo, positivo, um futebol que encha de orgulho quem é da família vizelense e que faça quem não é desta família adotar o FC Vizela como segundo clube pela forma corajosa e apaixonada como entra em cada jogo e pela qualidade de jogo que evidencia. Mas especialmente pela coragem dos jogadores. Ainda no último jogo, aos 90+2’, a jogar fora de casa, metemos os dois centrais na área e o nosso trinco a lançar. Isso demonstra o nosso carácter e a vontade de ganhar. Penso ser muito bom para o futebol português.”

GOLO ANULADO POR UM CENTÍMETRO: “Acho que é estragar o futebol. Um centímetro… Penso que devia haver uma margem, porque o golo é o expoente máximo do futebol. Somos a equipa com mais golos anulados, com mais foras-de-jogo tirados. Isso demonstra que somos destemidos, revela a coragem de que falei. Agora vamos esperar que todos tenham cortado as unhas para não termos mais foras-de-jogo de um centímetro”

PAÇOS DE FERREIRA: “Espero um bom jogo, contra um clube a quem temos uma grande gratidão por nos ter ajudado, com quem mantemos amizade e uma excelente relação. Os jogadores do Paços jogam juntos há muito tempo, têm muitas ligações. Foram à Europa, querem manter esse estatuto. Com posse sabem gerir muito bem e é das equipas que menos vezes perde a posse de bola, não perde bolas estúpidas. O que antevejo é um jogo muito emotivo, com duas equipas a quererem ganhar, com 22 bons executantes. O Jorge é um excelente treinador, tem provas dadas. Quem vier ao estádio vai ficar satisfeito.”

ZAG: “Queria falar do Zag, porque é um exemplo de superação. Foi capaz de superar mais uma adversidade. Alguém que supera como ele as lesões, é exemplo de carácter. Queria deixar-lhe esta palavra pela força e espírito que tem tido. Ainda tem muitos anos pela frente para conseguir os objetivos e metas que tem. Andou ano e meio a jogar sem cruzados. Alguém que sabe lidar com a dor como ninguém. Às vezes o joelho saía do sítio e ele colocava. Nunca vi. Impressionante. Por este caráter também é um dos capitães e vai bem a tempo de atingir as metas que eu sei que ele tem. O nosso Zag é muito bem-vindo de volta. Tinha de lhe deixar esta palavra pelo exemplo de superação que é.”

NOVO RELVADO: “É o melhor do mundo, é o nosso, é o melhor. Já treinámos, já nos ambientámos, agora é descansar e amanhã aparecer para tentar conquistar os três pontos.”