Mais Vizela merecia melhor do que o empate

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Mais bola para o FC Vizela, mais domínio para FC Vizela, mais capacidade ofensiva para o FC Vizela, muitos mais remates para o FC Vizela. Deu mais Vizela em tudo, menos… no resultado, que ainda assim nos rende um ponto para a nossa caminhada. Queríamos mais, merecíamos mais, mas a resposta dos jogadores após a injusta desvantagem voltou certificar o crescimento desta equipa.

Com Ivanildo Fernandes, Claudemir e Schettine como novidades no onze titular, o FC Vizela entrou por cima do Boavista e aos 3’ já Bruno Wilson, de cabeça, ameaçava a baliza de Bracali. Com qualidade na circulação e diversidade na forma de chegar à baliza contrária, a equipa de Álvaro Pacheco tentou de diversas formas. Aos 14’ foi Nuno Moreira, servido e em excelente posição, a disparar por cima. Pouco depois, nova combinação ofensiva de qualidade, com Schettine a permitir a defesa de Bracali.

À passagem da meia-hora nem se via o Boavista, mas os axadrezados, na primeira ocasião em que realmente tiveram perigo, quase marcaram: Makouta desviou mal já na pequena área. Um grande susto que acabou por colocar alguma água na fervura e fazer do resto da primeira parte o período mais morto do jogo. Hamache, pela esquerda, ia sendo o mais perigoso do Boavista.

O reatamento do jogo foi mais do mesmo, mas o balde de água fria acabaria por chegar mesmo. E também por um esquerdino, no caso Gustavo Sauer, que recolheu uma bola à direita, entrou na área e rematou forte ao segundo poste. Um golaço, que o Boavista não justificaria.

Seguiram-se 40 minutos de pressão da nossa equipa, que, entretanto, viu entrar Zohi, Raphael Guzzo e Cann, foi encostando o adversário e ameaçando, essencialmente de bola parada e na meia distância, já que cada vez era menor o espaço para jogar. Numa das vezes em que a bola entrou nas costas do adversário, Marcos Paulo quase empatou. Pouco depois, foi Koffi a restabelecer alguma justiça, com um golo extraordinário, de pé esquerdo, a culminar uma jogada individual em que parte da direita para o meio e, de fora da área, encheu o pé.

A esperança dos vizelenses, em campo e na bancada, também se encheu, mas nos 10 minutos que restavam para o jogo terminar, não foi possível encontrar o caminho do golo e da vitória. Foram 16 remates, contra cinco do Boavista. Mas o dia não foi propriamente inspirado em matéria de finalização. Sinais excelentes, ainda assim, a confirmar daqui por duas semanas, em Barcelos, no jogo da quinta jornada da Liga Portugal BWIN que agora faz pausa para jogos internacionais.

FICHA TÉCNICA

FC Vizela 1-1 Boavista FC

Local: Estádio Capital do Móvel (Paços de Ferreira)

Árbitro: Rui Costa (AF Porto)

Assistentes: João Bessa Silva e José Martins

4º Árbitro: Cláudio Pereira (AF Aveiro)

FC Vizela: Charles; Koffi (Richard Ofori, 90’+3’), Bruno Wilson, Ivanildo Fernandes e Kiki; Claudemir (Raphael Guzzo, 84’), Marcos Paulo (C) e Samu; Nuno Moreira (Cann, 84’), Schettine (Zohi, 60’) e Kiko Bondoso.

Suplentes não utilizados: Ivo Gonçalves, Marcelo, Igor Julião, Alex Méndez e Tomás Silva.

Treinador: Álvaro Pacheco

Boavista FC: Bracali (C); Tiago Ilori, Chidozie e Javi Garcia; Nathan (Pedro Malheiro, 88’), Makouta, Sebastien Perez (Tiago Morais, 88’) e Hamache (Filipe Ferreira, 60’); Gustavo Sauer, Yusupha (Vukotic, 68’) e Kenji Gorré (Petar Musa, 68’).

Suplentes não utilizados: Biranvand, Reymão, Rodrigo Abascal e Luís Santos.

Treinador: João Pedro Sousa

Golos: Gustavo Sauer (51’) e Koffi (74’).

Cartões Amarelos: Sebastien Perez (36’), Marcos Paulo (37’), Samu (56’), Kiki (82’), Bracali (90’+4’) e Petar Musa (90’+5’).