Álvaro Pacheco: “Perdemos dois pontos, mas estou orgulhoso”

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

O treinador do FC Vizela destacou os inúmeros remates e lances de golo da nossa equipa e saiu do empate com o Boavista com um sentimento agridoce: mau porque a equipa merecia vencer, bom porque a atitude e resposta da equipa voltaram a ser do seu agrado.

ANÁLISE AO JOGO: “Saio com a sensação de que perdemos dois pontos. Tivemos o triplo de remates e uma capacidade ofensiva muito forte. Conseguimos empurrar o Boavista lá para trás. Eles estavam a jogar no nosso erro, tinha alertado para isso e foi assim. Tivemos várias oportunidades de golo e penso que merecíamos ser premiados com o segundo golo. Perante um adversário matreiro, tivemos estabilidade emocional. Isso revela um crescimento grande da nossa equipa. Estou orgulhoso.”

DESVANTAGEM E REAÇÃO: “Não estávamos a contar com aquele golo do Boavista, mas são essas situações que nos fazem crescer. Disse aos jogadores para se manterem tranquilos e focados no nosso jogo. Sentia que o Boavista tinha alguma dificuldade em acompanhar o nosso jogo. Faltaram só mais golos.”

MERCADO: “Se surgir um bom negócio para entrar alguém, estamos abertos a isso. Mas não estou preocupado com esse assunto, apenas concentrado na nossa equipa. Claro que, se aparecer alguém que possa acrescentar qualidade à nossa equipa, é bem-vindo. Se for ao contrário? Bem, não gostava de perder um jogador. Aí, desligo o telefone ao presidente [risos].”

ADEPTOS: “Foram fantásticos, estiverem incríveis no apoio à equipa, deram uma grande atmosfera. Aqueles que estiveram cá hoje, esses foram incríveis. Aos que estiveram cá hoje eu tiro a minha boina. Foram fantásticos.”

IGOR JULIÃO: “São situações que acontecem. Ele mostrou alguma frustração no final do jogo e eu preferi resolver as coisas no imediato, porque não gosto de prolongar ou adiar problemas. Aliás, vamos ter duas folgas e preferi resolver já. Os jogadores têm de perceber o que é estar no FC Vizela. Eles servem o FC Vizela, expliquei-lhe isso. Ele já percebeu, já se retratou. Com os filhos acontece a mesma coisa e o FC Vizela é família. Temos que os educar. Eu resolvi no momento e ele também, porque já se retratou e isso também foi fantástico.”