Números que não explicam a derrota

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Vizela até saiu a ganhar duas vezes, mas viu os dois momentos invalidados por alguns centímetros. Vitória SC só desatou o nó na reta final e a goleada acaba por ser muito exagerada.

“Foi um jogo até aos 70’, outro depois daí”. A forma como Raphael Guzzo sintetizou o jogo não podia ser mais reveladora. O FC Vizela perdeu por 4-0 em casa do vizinho Vitória SC, mas a verdade é que os números são muito exagerados, tanto mais que até saímos na frente duas vezes. Por 14 cm (Cassiano) e 12 cm (Samu), os golos foram, no entanto, invalidados.

Como dissemos, a larga maioria do jogo não revelou o desequilíbrio que os números finais destapam. Melhor o Vitória SC, sempre com mais bola e largura, mas a nossa equipa esticada em campo à procura de ter, também, oportunidades. A mais importante de todas chegou aos 19’. Cassiano foi lançado nas costas dos defesas, Trmal defende, mas Kiko Bondoso, na recarga, faz o 0-1. O lance acabaria invalidado por fora-de-jogo do brasileiro.

Até ao final da primeira parte não há muito mais de relevante para contar, apesar de o Vitória SC ter incomodado pelas alas e com recurso à meia distância. Charles, neste caso, e a defesa do FC Vizela, resolveram sempre a preceito.

O intervalo não mudou muito. Mais retraída a nossa equipa, mais atacante o Vitória SC, especialmente melhor na recuperação da bola e na forma como a soltava rapidamente na frente. Já com Claudemir em campo, o FC Vizela foi solidificando o seu jogo progressivamente. E é num lançamento deste médio que outro, no caso Samu, se isola frente a Trmal e solta a festa no sector visitante. Durou alguns minutos, até o VAR invalidar o segundo golo para a nossa equipa…

E foi na frustração deste momento (57’) e no recurso ao banco do treinador adversário, Pepa, que a equipa de Guimarães intensificou a pressão, que ainda assim só daria golo aos 70’, após penálti de Koffi por alegado derrube a Marcus Edwards, um dos jogadores que entrara, André André fez o primeiro do jogo, cinco minutos antes de Estupiñan, de cabeça, fazer o segundo na sequência de um cruzamento de Rafa. O FC Vizela nem teve tempo para reagir e o resto do jogo conta-se pelo desânimo da nossa equipa e por mais uma decisão com intervenção do VAR. Edwards fez o terceiro (83’) e Falaye Sacko, num penálti que começou por ser livre direto, fechou o marcador já passavam cinco minutos dos 90 regulamentares.

No final, uma palavra para o apoio fantástico dos nossos adeptos, que apoiaram mesmo depois do resultado se fazer e acreditaram tanto quanto nós que conseguiríamos um resultado melhor. O 4-0 é enganador, mas não retira nada à justiça do triunfo do Vitória SC.

FICHA TÉCNICA

Vitória SC 4-0 FC Vizela

Local: Estádio D. Afonso Henriques (Guimarães)

Árbitro: Hugo Miguel (AF Lisboa)

Assistentes: Bruno Jesus e Ricardo Santos

4º Árbitro: Ricardo Baixinho (AF Lisboa)

Vitória SC: Trmal; Falaye Sacko, Abdul Mumin, Borevkovic e Rafa Soares; André Almeida (Tiago Silva, 61’), André André (C) (Nicolas Janvier, 80’) e Tomás Handel; Ricardo Quaresma (Rúben Lameiras, 80’) e Estupiñan (Bruno Duarte, 80’) e Rochinha (Marcus Edwards, 61’).

Suplentes: Antal Bencze, Sílvio, Jorge Fernandes e Herculano.

Treinador: Pepa

FC Vizela: Charles; Koffi, Bruno Wilson, Kiki e Richard Ofori (Ivanildo Fernandes, 72’); Raphael Guzzo (Claudemir, 56’), Marcos Paulo (C) e Samu (Alex Méndez, 72’); Nuno Moreira (Zohi, 72’), Cassiano (Schettine, 23’) e Kiko Bondoso.

Suplentes: Ivo Gonçalves, Igor Julião, Tomás Silva e Cann.

Treinador: Álvaro Pacheco

Golos: André André (70’, g. p.), Estupiñan (75’), Marcus Edwards (83’) e Falaye Sacko (90’+5’, g. p.).

Cartões Amarelos: Bruno Wilson (15’), Raphael Guzzo (17’), André Almeida (35’), André André (52’), Koffi (67’), Rafa Soares (77’), Abdul Mumin (85’) e Schettine (90’+1’).