O sonho da subida concretizado!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Épico! Talvez o adjetivo que melhor assentará à temporada desportiva do FC Vizela, que, após vencer categoricamente o Vilafranquense por 5-2, pôde celebrar um sonho antigo: o da ascensão à elite do futebol português, ascensão essa meteórica!

A cidade acordou frenética com a hipótese real. O elã criado em torno dos heróis comandados por Álvaro Pacheco estava fantástico e este último jogo do campeonato, o jogo de todas as decisões, ilustrou bem aquilo que foi a época dos vizelenses: sair mais forte da adversidade.

O destino já havia colocado o Vilafranquense como antagonista na grande decisão. Foi a terceira vez, mas a velha máxima perdura por algum motivo. O céu pintara-se de azul para a ocasião.

A história do jogo começou com o FC Vizela ao ataque e a marcar. Ainda se concluía o segundo minuto da contenda e já Diogo Ribeiro abria as portas à concretização do sonho. Superiormente desmarcado por Kiki, o atacante dos azuis regressava aos golos no melhor momento.

Logo a seguir, Koffi ameaçou o segundo com um remate intencional e, do outro lado, o conjunto ribatejano também criou perigo de bola parada. Kady fez a bola beijar o travessão.

Na resposta, Samu recuperou uma bola e fez Maringá brilhar entre os postes, antes de, aos 16’, o Vilafranquense restabelecer a igualdade por Evandro Brandão, através de grande penalidade.

Primeira adversidade superada pelo FC Vizela, já perto da meia hora, por intermédio de Raphael Guzzo, que, numa insistência do ataque azul, resgatou a bola, tabelou com Kiko Bondoso e atirou certeiro para o fundo das malhas, recuperando, assim, a vantagem no marcador.

Os vizelenses eram manifestamente melhores no jogo, mais produtivos e sempre mais próximos do golo. Exemplo disso, o tiro de Kiki à barra e o belíssimo remate de Kiko Bondoso, a beijar o ferro, aos 33’ e 39’, respetivamente.

O Vilafranquense apenas de bola parada conseguiu levar algum perigo junto da baliza vizelense, onde estava Ivo Gonçalves a resolver, como aconteceu mesmo sobre o apito para o intervalo.

A etapa complementar trouxe um FC Vizela forte, porém, sem escapar a nova contrariedade no resultado, fruto do 2-2 obtido outra vez da marca dos onze metros, por Evandro Brandão (50’).

Mas estas incidências é que fizeram sobressair o enorme espírito de conquista da formação de Álvaro Pacheco, pelo que se seguiu um autêntico vendaval de futebol ofensivo.

Com uma certa naturalidade, aos 59’, Raphael Guzzo bisou na partida, aproveitando um ressalto de uma bola cruzada tensa pelo colega Koffi. Foi o sexto golo do centrocampista dos vizelenses e o momento de viragem definitivo no rumo dos acontecimentos.

A partir daí, começou um autêntico espetáculo com nome: Kiko Bondoso! Aos 75’, fugiu a toda a gente, percorreu meio campo e o remate saiu uns centímetros por cima do desejado. Qual aviso para nova jogada sublime dos vizelenses: Raphael Guzzo libertou para Cassiano e o goleador desmarcou primorosamente Kiko Bondoso para um golo de belo recorte técnico, aos 80’.

Registou-se então a primeira invasão pacífica de campo numa partida que ficaria definitivamente selada em tempo de compensação, por intermédio de Tavinho. Era o 5-2 e a festa continuou pela noite dentro com a equipa a desfrutar, primeiro no relvado, depois pelas ruas da cidade, num autocarro panorâmico, onde pôde sentir a energia dos vizelenses em êxtase total.

O FC Vizela terminou a temporada com a promoção direta à Primeira Liga, com o melhor ataque do campeonato, com uma sequência histórica de 26 jogos sem derrotas, com o artilheiro-mor e o rei das assistências, Cassiano (16 golos) e Kiko Bondoso (10 assistências), respetivamente.

36 anos depois, o emblema da Rainha está de volta ao convívio entre os grandes do futebol português, fazendo aumentar a representatividade do distrito de Braga no panorama nacional.

Ficha Técnica

FC Vizela 5-2 UD Vilafranquense

Local: Estádio do Futebol Clube de Vizela

Árbitro: Tiago Martins (AF Lisboa)

Assistentes: Pedro Mota e Hugo Ribeiro

4º Árbitro: Gustavo Correia (AF Porto)

FC Vizela: Ivo Gonçalves; Koffi, Matheus, Aidara e Kiki; Ericson (C) (Marcos Paulo, 77’), Raphael Guzzo (Cardozo, 90’+3’) e Samu; Cann (Tavinho, 77’), Diogo Ribeiro (Cassiano, 60’) e Kiko Bondoso.

Suplentes não utilizados: Pedro Silva, André Soares, Marcelo, Mosevich e Richard Ofori.

Treinador: Álvaro Pacheco

UD Vilafranquense: Maringá; Marco Grilo, Diogo Coelho, Gonçalo Santos (C) (Leo Cordeiro, 62’) e Vítor Bruno; Diogo Izata, Jefferson (Vitinho, 62’), Kady e Nuno Rodrigues (Veiga, 62’); André Claro (Carlos Fortes, 75’) e Evandro Brandão (Rúben Gonçalves, 75’).

Suplentes não utilizados: Tiago Martins, Rodrigo Rodrigues, Alan Bidi e Marcos Vinícius.

Treinador: Carlos Pinto

Golos: Diogo Ribeiro (2’), Evandro Brandão (16’ e 50’, ambos de g. p.), Raphael Guzzo (28’ e 59’), Kiko Bondoso (80’) e Tavinho (90’+2’).

Cartões Amarelos: Aidara (20’), Diogo Coelho (24’), Marco Grilo (64’), Carlos Fortes (77’) e Kiki (88’).