FC Vizela vence Mafra com segunda parte de luxo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

O FC Vizela recebeu pela primeira vez a equipa do Mafra no seu estádio e “vingou” de certa forma o resultado registado na primeira volta do campeonato, ao vencer por duas bolas sem resposta.

Numa bonita manhã de sol, onde só faltou mesmo o calor dos adeptos, o estádio dos vizelenses foi palco de um animado jogo de futebol com três boas equipas em campo.

Ostentando nomes femininos nas camisolas, em alusão ao Dia de Luto Nacional pelas Vítimas de Violência Doméstica, que antecede o Dia Internacional da Mulher, os pupilos de Álvaro Pacheco realizaram duas partes ligeiramente distintas.

Eram conhecidas as dificuldades que o Mafra, sensação da primeira volta, poderia causar. Muito compactos e organizados no plano defensivo, os mafrenses, também perigosos no contragolpe, estiveram quase sempre à espreita do erro do FC Vizela.

Os vizelenses apresentaram-se apenas com uma alteração relativamente ao encontro de Chaves, com a inclusão de Marcelo (fez uma grande partida) no lugar do castigado Matheus, mas, desta vez, até ao intervalo, sentiram dificuldades nas conexões entre setores e no capítulo do passe.

A primeira situação de perigo pertenceu ao Mafra, com Carlos Daniel a obrigar Ivo Gonçalves a defesa apertada, logo aos 5’ de jogo.

Mais tarde, sobre o quarto de hora inicial, a turma forasteira criou a sua melhor oportunidade de golo com a bola a ser devolvida pelo poste, numa insistência de João Cunha, um jogador que representou o FC Vizela durante três temporadas.

Do outro lado, os espaços concedidos pela defensiva do Mafra também eram escassos, o que reduzia as hipóteses dos dianteiros azuis em criar mossa na área contrária.

Ainda assim, aos 35’, num lance de apuro para os mafrenses, Cassiano endossou o esférico para o remate do bem posicionado Samu, mas este saiu ligeiramente por cima da baliza.

Para a segunda parte, Álvaro Pacheco lançou Marcos Paulo, em substituição de Ericson, que já tinha sido admoestado com a cartolina amarela.

Uma alteração que teve o condão de transfigurar o jogo, na medida em que o FC Vizela se reencontrou com o futebol espetáculo a que tanto tem habituado os adeptos em geral.

A reentrada no desafio foi fortíssima e o desbloqueio do nulo aconteceu logo ao cabo do primeiro minuto do reatamento. O espaço, tão fechado no primeiro tempo, abriu-se com um passe magistral de Raphael Guzzo, ao qual Cann, furando entre os centrais, correspondeu com o golo.

Em vantagem, a confiança dos vizelenses foi naturalmente outra, ao passo que o Mafra, ainda “escaldado” da longa série de 12 jogos sem vencer, foi perdendo a sua organização.

Mérito dos jogadores orientados por Álvaro Pacheco, cujas ligações, apoiadas por um futebol ao primeiro toque, permitiram o crescimento da equipa e o aumento do seu volume ofensivo.

Daí que o 2-0 no marcador tenha acontecido com a maior naturalidade, aos 70’. Grande lance pelo lado direito com Tavinho (que bela entrada em jogo) a cruzar para o remate certeiro de Samu. Foi o segundo jogo consecutivo a marcar por parte do influente médio dos vizelenses.

Os mafrenses apenas conseguiram incomodar Ivo Gonçalves aos 83’, mas este correspondeu com uma intervenção atenta, momentos antes de nova investida dos azuis pelo corredor direito, no qual Tavinho cruzou chegado à baliza e Cassiano, por escassos centímetros, não chegou para o terceiro da contenda.

A vitória assenta bem ao FC Vizela, pela forma como investiu na procura dos três pontos na etapa complementar, assegurando, assim, mais uma semana bem colado ao pódio da competição.

No final da partida, Álvaro Pacheco reconheceu as dificuldades que a equipa vizelense sentiu no primeiro tempo: «O Mafra esteve melhor que nós. Se o Mafra chegasse ao intervalo a vencer, era merecido, pela forma como nos condicionou», começou por dizer.

«Foi uma segunda parte fantástica dos meus jogadores. É evidente que o golo a abrir foi muito importante para a nossa equipa estabilizar e crescer. Fomos uma equipa muito inteligente a gerir o jogo, tanto com bola, como sem bola. Por aquilo que fizemos, a vitória é justa, mas é de realçar que aqui estiveram três grandes equipas», sublinhou Álvaro Pacheco.

A jornada que se avizinha promete emoções fortes. Em Coimbra, o FC Vizela irá medir forças com a Académica, uma partida agendada para as 11:00 horas de sábado, dia 13, que será transmitida pela Sport TV 1.

 

Ficha Técnica

FC Vizela 2-0 CD Mafra

Local: Estádio do Futebol Clube de Vizela

Árbitro: Fábio Melo (AF Porto)

Assistentes: Sérgio Jesus e André Dias

4º Árbitro: Marco Cruz (AF Porto)

FC Vizela: Ivo Gonçalves; Ofori, Marcelo (João Pedro, 88’), Aidara e Kiki (André Soares, 88’); Ericson (C) (Marcos Paulo, 45’), Raphael Guzzo (Mosevich, 88’) e Samu; Cann (Tavinho, 53’), Cassiano e Kiko Bondoso.

Suplentes não utilizados: Pedro Silva, Cardozo, João Pais e David.

Treinador: Álvaro Pacheco

CD Mafra: Carlos Henriques; Nuno Campos, João Cunha (Okitokandjo, 75’), João Miguel, Pedro Barcelos e Gui Ferreira (C); Cuca, Ismael (Andrezinho, 60’) e Carlos Daniel (Wenderson, 75’); Edi Semedo (Gustavo Moura, 60’) e Abel Camará (Lee, 75’).

Suplentes não utilizados: Filipe Neves, Fidelis Irhene, Tomás Domingos e Kerkez.

Treinador: Filipe Cândido

Golos: Cann (46’) e Samu (70’).

Cartões Amarelos: Ericson (14’), Kiko Bondoso (44’), João Cunha (66’) e Marcelo (72’).