Valentes… Vizelenses!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

No encontro de abertura da 22.ª jornada da Liga Portugal 2, considerado o “jogo grande” da ronda, FC Vizela e Desportivo de Chaves empataram a duas bolas.

Uma partida cujo desfecho acabou por ficar diretamente relacionado com a expulsão prematura (e algo exagerada) de Matheus, ainda antes de concluído o primeiro quarto hora.

De qualquer forma, a qualidade das duas equipas ficou bem patenteada ao longo de toda a partida, o que, certamente, terá feito as delícias dos adeptos de futebol.

Fruto de alguns condicionalismos físicos, o onze de Álvaro Pacheco registou três alterações em relação à jornada anterior, desde logo, na baliza, com o regresso de Ivo Gonçalves, e no miolo com a estreia de Raphael Guzzo na titularidade.

A entrada do FC Vizela em jogo foi fortíssima e bem reveladora da intenção em conquistar os três pontos no reduto historicamente complicado de um candidato à subida de divisão.

Jogava-se o segundo minuto do desafio e já o conjunto vizelense fazia a sua primeira aproximação à área flaviense com Raphael Guzzo a cruzar, Cassiano a ir à luta e Samu a rematar ao lado.

Aos 6’, o FC Vizela inaugurou o marcador. Tudo começou num cruzamento de Cann. A bola sobrou para o remate de Cassiano, defendido por Paulo Vítor, com Samu a surgir oportuno para a recarga vitoriosa, que premiou o bom arranque vizelense.

Contudo, aos 12’, Matheus travou um contragolpe do veloz João Correia e Iancu Vasilica puxou da cartolina vermelha, cor algo exagerada, tendo em conta que Ofori estava à ilharga, situação essa que deixou o FC Vizela demasiado tempo em inferioridade numérica.

Naturalmente, essa incidência deu força ao Desportivo de Chaves que, em função da grande qualidade dos seus executantes, começou a dar trabalho à defensiva de Álvaro Pacheco.

Aos 16’, Jonathan Toro rematou forte para a primeira grande intervenção de Ivo Gonçalves no encontro, dois minutos antes de uma outra defesa de enorme qualidade, desta feita a evitar o golo do empate a Roberto.

Aos 21’, num pontapé de canto, Roberto cabeceou uma bola ao poste e, mais tarde, Luís Silva também criou perigo por duas ocasiões.

Pelo meio, o FC Vizela espreitou o segundo golo numa boa jogada de envolvimento pelo corredor esquerdo com Kiko Bondoso a assistir Cassiano para o remate, desviado pelo guardião flaviense Paulo Vítor com uma palmada.

Ao intervalo, os vizelenses conservavam a vantagem mínima, conscientes que a segunda metade do desafio iria certamente apelar a um grande esforço, união e valentia de todos.

Logo a abrir, um cabeceamento de Roberto testou a atenção de Ivo Gonçalves. Pouco depois, aos 56’, o FC Vizela chegou ao segundo golo com uma jogada digna dos melhores.

Envolvimento perfeito pelo lado esquerdo com Kiko Bondoso e Kiki a combinarem entre si e este a fazer o passe açucarado para o remate certeiro de Samu. Apesar da inferioridade numérica e da pressão flaviense, o emblema da Rainha construía uma vantagem prometedora.

Entretanto, Ivo Gonçalves continuou em grande nível, travando duelo interessante com Wellington, jogador que acabou por ser a unidade mais influente dos da casa.

Até que, num espaço de um minuto, tudo mudou, à entrada da reta final do encontro. Aos 79’, na sequência de um canto, Luís Silva, ao primeiro poste, reduziu a diferença de cabeça.

Bola ao centro, nova investida do Desportivo de Chaves e 2-2 no resultado, com Wellington a rematar cruzado para um golo que não entrava nos planos da turma vizelense.

O FC Vizela segurou o ponto com valentia e garantiu mais uma semana na quarta posição da Liga Portugal 2, não deixando de provar a sua qualidade, apesar de todos os condicionalismos.

No final da partida, Álvaro Pacheco realçou a coragem dos seus jogadores em manterem-se fiéis à sua ideia, apesar de terem de jogar com menos durante muito tempo: «A expulsão do Matheus marca o desenrolar do encontro. Procurámos continuar a fazer as nossas ligações. O segundo golo é uma obra de arte», começou por dizer.

«O jogo obrigou a um grande desgaste físico e mental, fruto das incidências. O primeiro golo do Chaves abanou-nos um bocado. A partir do empate, tentámos manter a equipa equilibrada. Seria uma injustiça sair deste jogo sem pontos. É mais um ponto na nossa caminhada. A paixão dos meus jogadores deixa-me muito orgulhoso», sublinhou Álvaro Pacheco.

O campeonato prossegue no próximo fim-de-semana, o primeiro de Março. Assim, no sábado, dia 06, pelas 11:00 horas, o FC Vizela recebe o Mafra, um desafio que terá transmissão televisiva por parte da Sport TV 1.

 

Ficha Técnica

GD Chaves 2-2 FC Vizela

Local: Estádio Municipal Engenheiro Manuel Branco Teixeira (Chaves)

Árbitro: Iancu Vasilica (AF Vila Real)

Assistentes: Álvaro Mesquita e Nélson Cunha

4º Árbitro: Luís Costa (AF Braga)

GD Chaves: Paulo Vítor; João Correia, Luís Rocha (C) (William, 64’), Vasco Fernandes e João Reis; Nuno Coelho, Jonathan Toro (Benny, 64’), Luís Silva (Nicolas, 82’) e João Batxi (João Teixeira, 82’); Roberto e Niltinho (Wellington, 37’).

Suplentes não utilizados: Samu, Rafael Viegas, Guedes e José Gomes.

Treinador: Vítor Campelos

FC Vizela: Ivo Gonçalves; Ofori, Matheus, Aidara e Kiki; Ericson (C), Raphael Guzzo (Marcos Paulo, 66’) e Samu; Cann (Cardozo, 90’+1’), Cassiano e Kiko Bondoso (Tavinho, 75’).

Suplente não utilizado: Manuel Baldé, André Soares, Marcelo, João Pais, João Pedro e David.

Treinador: Álvaro Pacheco

Golos: Samu (6’ e 57’), Luís Silva (79’) e Wellington (80’).

Cartões Amarelos: Jonathan Toro (40’), Luís Silva (45’+1’), Raphael Guzzo (60’) e Aidara (90’+4’).

Cartão Vermelho: Matheus (12’).