Vizelenses muito prejudicados em Arouca…

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

É caso para se dizer que, assim, não há santo que resista. Na visita a Arouca, que aconteceu pela primeira vez no seu historial, o FC Vizela sofreu nova reviravolta nos instantes finais.

No meio de tantas contrariedades, com lesões e golos precedidos de infrações, a formação de Álvaro Pacheco bem tentou inverter a tendência negativa e, em boa verdade, bem merecia.

Chegar a um terreno onde, nos 19 desafios anteriores, nenhuma equipa arrecadou os três pontos e realizar uma prestação tão conseguida, que deixou o Arouca tão nervoso e em dificuldades, não é fácil e só pode ser obra de uma grande equipa.

Os primeiros minutos registaram equilíbrio, mas, à medida que o encontro se foi desenrolando, o FC Vizela cresceu e teve a bola mais tempo em seu poder.

O futebol praticado pelos vizelenses era cada vez mais envolvente e Fernando Castro teve de se aplicar para travar uma investida de Kiko Bondoso, aos 25’, praticamente a seguir à substituição forçada de Cassiano, devido a lesão.

Já o Arouca apenas conseguia mirar a baliza de Pedro Silva de meia distância. Exemplo disso, os remates de Heliardo e Adílio durante o primeiro tempo.

Ao intervalo, o nulo subsistia, mas o sinal mais pertencia ao FC Vizela, isto apesar de registar nova alteração no seu alinhamento por lesão de Kiki, instantes antes do descanso.

A etapa complementar não podia começar melhor para o emblema da Rainha. Ainda se cumpria o primeiro minuto do reatamento e já Diogo Ribeiro fazia balançar as redes. O atacante vizelense, bem servido por Cann, bateu Fernando Castro, dando assim vantagem ao FC Vizela.

Sobre a hora de jogo, grande susto na defensiva vizelense. Koffi, procurando atrasar de peito para Pedro Silva, acabou por ver o esférico bater caprichosamente nos dois postes, aparecendo depois Marcelo, in extremis, a resolver o lance de perigo.

Aos 67’, Samu teve tudo para fazer o segundo e, eventualmente, sentenciar o jogo. O remate não saiu nas condições desejadas, após boa assistência de Diogo Ribeiro.

Três minutos volvidos e os dois protagonistas desenharam jogada idêntica, porém, o desfecho foi o mesmo, gorando-se aqui nova possibilidade clara de dar corpo a um resultado que seria o prémio justo para um desempenho tão positivo fora de portas.

Tudo parecia bem encaminhado para a conquista de pontos, contudo, a reta final do encontro foi pródiga em incidências polémicas que acabaram por resultar numa mudança de rumo.

Aos 82’, o Arouca chegou ao empate por João Basso, na transformação de uma grande penalidade que não deveria sequer ter acontecido, se o juiz da partida ou a sua auxiliar tivessem vislumbrado a mão de Heliardo, que acabou por fazer com que a bola sobrasse para André Silva.

Sem desarmar, o FC Vizela esteve perto de voltar à vantagem na sequência de um livre executado por Marcos Paulo (85’) e de um grande pontapé de ressaca de Koffi (87’), cujos remates saíram muito perto do poste direito da baliza arouquense.

Praticamente na derradeira jogada do desafio, Adílio fez o 2-1 para o Arouca, num lance marcado por duas infrações que não foram devidamente sancionadas pelo árbitro João Casegas, nem pela sua auxiliar Olga Almeida, sempre muito pressionada pelo banco dos da casa.

Primeiro, Leandro ajeitou a bola com o braço, depois, no seguimento, Adílio apareceu ligeiramente adiantado para o cruzamento de Quaresma.

Contrariedades a mais para aquela que foi a melhor equipa em campo, aquela que, pelo que produziu, não merecia, de forma alguma, sair de Arouca sem qualquer ponto.

No final do jogo, Álvaro Pacheco, agastado com as incidências finais, elogiou os seus jogadores e salientou a injustiça do resultado: «Tenho um orgulho muito grande nos meus jogadores. A forma como eles têm lidado com situações que nós não controlamos fazem deles uns campeões. Perdeu a melhor equipa. Fizemos tudo para levar pontos daqui», referiu o técnico.

A Liga Portugal 2 continua no próximo fim-de-semana, antes de uma paragem motivada pelos compromissos da Seleção Nacional e da 3.ª eliminatória da Taça de Portugal.

O Leixões é o adversário que se segue para uma partida agendada para as 17:30 horas do próximo sábado, dia 07 de Novembro, no Estádio do FC Vizela, um encontro que será transmitido através da plataforma Match Player da Sport TV.

 

Ficha Técnica

FC Arouca 2-1 FC Vizela

Local: Estádio Municipal de Arouca

Árbitro: João Casegas (AF Viseu)

Assistentes: Olga Almeida e Hugo Marques

4º Árbitro: Xavier Gomes (AF Aveiro)

FC Arouca: Fernando Castro; Thales (C), João Basso, Brunão e Joel (Quaresma, 54’); Marco Soares (Lawrence Ofori, 67’), Leandro e Nuno Rodrigues (Pedro Moreira, 45’); Bukia (André Silva, 67’), Heliardo (Vassilakis, 82’) e Adílio.

Suplentes: Haymamba Norbert, Yaw Moses, Diogo Clemente e Baptiste Aloé.

Treinador: Armando Evangelista

FC Vizela: Pedro Silva; Koffi, Marcelo (André Soares, 85’), Aidara e Kiki (Richard Ofori, 43’); Zag (C), Marcos Paulo e Samu; Cann (Mosevich, 85’), Cassiano (Diogo Ribeiro, 24’) e Kiko Bondoso (Cardozo, 85’).

Suplentes: Ivo Gonçalves, Okoli, João Pedro e Didi.

Treinador: Álvaro Pacheco

Golos: Diogo Ribeiro (46’), João Basso (82’, g. p.) e Adílio (90’+3’).

Cartões Amarelos: Pedro Moreira (61’), Richard Ofori (69’), Zag (72’), Cann (77’), Heliardo (77’), Brunão (82’), Adílio (90’+3’) e Leandro (90’+4’).