Vizelenses triunfam no Berço e alargam vantagem pontual

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

O FC Vizela deu novo passo importante na sua caminhada ao superar o Berço, por uma bola a zero, numa jornada duplamente favorável ao conjunto da cidade termal.

Em Guimarães, comprovaram-se as dificuldades que se anteviam. O Berço tem sido uma das grandes surpresas nesta edição da Série A, mas, ao contrário do jogo da primeira volta, privilegiou a retardação do golo vizelense ao máximo, penalizando um pouco o espetáculo.

Sempre muito apoiado pelos seus adeptos, a maior parte deles fora do recinto devido ao preço pouco convidativo dos ingressos, o FC Vizela entrou bem no jogo e rapidamente se instalou sobre o meio-campo do adversário.

Após algumas aproximações à baliza vimaranense, a melhor oportunidade surgiu aos 11’. Diogo Ribeiro descobriu Kiko Bondoso, este tirou um opositor do caminho e viu Joyce Rios substituir o seu guarda-redes, sobrando a recarga para o goleador do FC Vizela atirar por cima.

Perante este ímpeto inicial da equipa de Álvaro Pacheco, o Berço procurou adormecer o jogo, impondo um ritmo baixo e uma lenta reposição de bola, espreitando apenas o erro vizelense. Disso se ressentiu o espetáculo dentro das quatro linhas, refletido nas poucas situações de golo.

Na única vez que a turma da casa se aproximou da área do FC Vizela, Matheus, com a serenidade que o caracteriza, desarmou Ricardo Almeida e resolveu o lance. Estavam cumpridos 40’.

A abrir o segundo tempo, o Berço criou perigo na sequência de uma bola parada. Ivo Gonçalves socou o esférico batido por Welton Júnior e André Fontes, na recarga, rematou por cima.

Apareceu então Kiko Bondoso na génese de duas boas situações. Na primeira, foi por muito pouco que Tavinho não chegou para a correspondência certeira ao seu cruzamento; na segunda, deu a possibilidade a Zag para tirar as medidas à baliza vimaranense.

Pelo meio, Leo Coltro quase fez autogolo ao impedir que uma bola cruzada por Samú pudesse ser intercetada pelo oportuno Tavinho. Tudo isto no primeiro quarto de hora do segundo tempo.

No seguimento da aposta no erro vizelense, o Berço também ficou muito perto de marcar aos 56’, por intermédio de Lucas Guedes. O brasileiro aproveitou algum espaço na área para receber o passe de Welton Júnior e rematar por cima do travessão.

Álvaro Pacheco foi então ao banco procurar a solução para desbloquear um jogo que, muitas vezes, pareceu remetido a uma “cabine telefónica”, com demasiado povoamento na zona da bola a impedir a desejável fluidez da mesma e do futebol praticado.

As entradas de Landinho e André Soares, não só refrescaram a zona intermediária dos vizelenses, depois da boa entrega de Zag e Samú, como também se traduziram num problema acrescido para o Berço, face à simplicidade de processos do primeiro e ao virtuosismo técnico do segundo.

Tavinho voltou a surgir em grande plano aos 64’, sempre bem alimentado por Kiko Bondoso, muito ativo a procurar assistir os colegas. O extremo contratado ao Farense atirou ligeiramente por cima na primeira investida, porém, viu João Ferreira defender instintivamente com o pé na segunda.

Também Diogo Ribeiro, num remate à meia volta, de difícil execução, devido à marcação imposta, ficou perto do golo, dando sentido ao forcing vizelense na derradeira meia hora de jogo.

A última ameaça do Berço aconteceu aos 67’. O cabeceamento de Danielson saiu ao lado e, a partir daí, só uma equipa fez tudo para sair do encontro com os três pontos.

Koffi fez a bola rasar a barra, Matheus cabeceou ao lado num canto, e André Soares arrancou um “coelho da cartola” para desfazer o nulo teimoso.

Faltavam seis minutos para o final do tempo regulamentar. No seguimento de um arremesso manual de Tavinho, André Soares, de fora da área, enquadrou-se com a baliza e rematou cheio de convicção e colocação para o fundo das malhas. Festa rija dentro e fora das quatro linhas. Não era para menos. O jogo estava difícil e o FC Vizela queria muito vencer.

Um golo solitário e decisivo numa jornada de grande importância. Além de ter significado a continuidade na senda das vitórias, o empate entre Vitória ‘B’ e Fafe permitiu ao FC Vizela alargar a sua vantagem relativamente aos competidores diretos pelo primeiro lugar. São agora oito os pontos de distância sobre fafenses e nove sobre vimaranenses e bracarenses.

A sequência de jogos complicados prossegue este sábado, dia 22, às 17:30 horas. A receção ao Vitória ‘B’ assinala a jornada 23 do campeonato e será transmitida pelo Canal 11 da FPF.

 

Ficha Técnica

Resultado: Berço SC 0-1 FC Vizela

Local: Campo Gémeos Castro (Candoso – Guimarães)

Árbitro: Márcio Torres (AF Viana do Castelo)

Assistentes: Emanuel Rocha e Bruno Rocha

Berço SC: João Ferreira; Francisco Afonso (Jota, 77’), Leo Coltro, Danielson e Joyce Rios; Chico (C) (Pedro Garcia, 74’), Welton Júnior e André Fontes; Lucas Guedes, Ricardo Almeida e Felipe Saturnino (Carlos Rocha, 45’).

Suplentes não utilizados: Luís Ribeiro, Evando, Joca e Bavikson.

Treinador: Ricardo Martins

FC Vizela: Ivo Gonçalves; Koffi, Matheus, Aidara e Kaká (Mendes, 80’); Ericson, Zag (C) (Landinho, 61’) e Samú (André Soares, 61’); Tavinho, Diogo Ribeiro e Kiko Bondoso.

Suplentes não utilizados: Rafa, Rabiola, Castro e Cann.

Treinador: Álvaro Pacheco

Golo: André Soares (84’).

Cartões Amarelos: Leo Coltro (21’), Chico (59’), Kaká (77’), Francisco Afonso (78’), Jota (90’+1’), Tavinho (90’+2’) e Koffi (90’+4’).