Desfecho inglório para uma das melhores exibições da época

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

O novo ano de 2020 arrancou com um empate a duas bolas no terreno do Merelinense, numa partida com um final impróprio para cardíacos e amargo para as hostes vizelenses.

A tarde de sol e o cartaz do jogo convidava a uma forte afluência de público e foi mesmo isso que aconteceu. As bancadas do recinto bracarense estiveram muito bem compostas e, atrás de uma das balizas, os muitos vizelenses proporcionaram um apoio vibrante à nossa equipa.

Quanto ao jogo em si, o FC Vizela foi superior ao longo de todo o desafio, criou inúmeras ocasiões de golo, enviou uma bola ao ferro e foi por um detalhe que não trouxe os três pontos.

Apesar de ter uma equipa dotada de muita qualidade e com nomes bem conhecidos dos nossos adeptos, casos de Luís Ferraz, André Pinto ou Gabi, a verdade é que o Merelinense procurou apostar no erro vizelense e, sobretudo, viu-se a braços com muito trabalho na defensiva.

O conjunto de Álvaro Pacheco produziu um futebol alegre e sempre em alta rotação. Logo aos 8’, foi por pouco que Landinho não concluiu um lance bem trabalhado por André Soares e Koffi.

De rajada, Diogo Ribeiro também ficou a centímetros de desviar para o fundo das redes um bom passe de Kaká, sendo que, aos 11’, voltou a ficar perto do golo, na sequência de livre estudado.

O arranque do FC Vizela era auspicioso num terreno que, tradicionalmente, oferece bastantes dificuldades a qualquer adversário.

Enquanto Cajó permanecia um espectador, André Soares transportava a equipa para o ataque e foram dele outras duas situações de perigo. Primeiro, protagonizou um remate de pronto que saiu muito perto do alvo, depois, grande iniciativa do criativo a tirar adversários do seu caminho e a rematar para defesa de Rui Rego.

A primeira vez que o Merelinense beneficiou de algum espaço para criar perigo foi aos 32’. Em contragolpe, Jorginho abriu na direita para Luís Ferraz e o remate saiu às mãos de Cajó.

Na resposta, Landinho ainda estará a pensar como não conseguiu desfeitear Rui Rego, depois de uma belíssima jogada de envolvimento pelo corredor direito.

Nesta altura, o FC Vizela justificava a vantagem, porém, aos 42’, foi mais feliz o Merelinense, outra vez num contra-ataque rápido conduzido e finalizado por Diogo Torres, sobre o lado esquerdo.

Mesmo em cima do descanso, Kiko Bondoso assistiu Diogo Ribeiro para o empate, mas o remate do atacante azul não saiu como certamente desejaria.

No reatamento, o FC Vizela entrou com tudo e realizou um segundo tempo avassalador. Jogava-se ainda o segundo minuto da etapa complementar quando André Soares, superiormente assistido por Kiko Bondoso, viu Rui Rego, a meias com o poste, evitar a igualdade.

André Soares, novamente servido por Kiko Bondoso, voltou a ameaçar as redes contrárias aos 50’. O seu remate saiu rasante ao poste. A manobra ofensiva dos vizelenses revelava um forte dinamismo e as jogadas produzidas embelezavam o espetáculo.

A capacidade técnica de André Soares estava ao rubro e Hugo Pinto não teve alternativa senão derrubar o jogador vizelense na área, sendo assinalado prontamente o castigo máximo. Coube ao próprio restabelecer o empate e assim foi, estavam cumpridos 54’.

O resultado ainda estava longe de satisfazer as pretensões do FC Vizela, daí que, nos instantes seguintes, se tenham assistido a novas vagas ofensivas.

Kiko Bondoso ensaiou o remate, Sérgio Duarte, com um corte providencial, evitou a finalização de Diogo Ribeiro, e João Faria cabeceou perto da trave, tudo isto até aos 60’.

Pouco depois, Kiko Bondoso surgiu isolado, contornou Rui Rego, mas, no momento do remate para a baliza deserta, acabou desarmado por Nélson Pedroso.

Aos 68’, Rui Rego assinou a defesa da tarde. Grande parada ao remate à meia volta de Kiko Bondoso, em mais uma jogada de belo futebol.

O Merelinense não conseguia sair para o ataque por mérito exclusivo de um FC Vizela pujante e determinado. Perto do derradeiro quarto de hora, Diogo Ribeiro, à boca da baliza, não conseguiu a emenda ao passe de Samu. À sua imagem, Diogo Ribeiro foi um lutador, desgastou a defensiva contrária e merecia sair do encontro com, pelo menos, um golo.

Com Mendes em campo, foi da sua ala direita que saiu nova ameaça. O forte remate de Koffi saiu às malhas laterais, ele que, à segunda tentativa, marcou mesmo. Aconteceu aos 87’, com o marfinense a irromper na área e a rematar forte e rasteiro para o golo, um tento que deu lugar à loucura de todos os vizelenses. Foi, de facto, um golo festejado com grande efusividade.

No entanto, mesmo sobre os noventa, o Merelinense empatou para desilusão tremenda dos azuis, que, momentos antes, tinham alcançado o mais difícil: dar a volta ao jogo.

João Faria, em missão de sacrifício pelo coletivo, travou Jorginho, que seguia muito rápido e isolado com bola em direção à baliza de Cajó. O capitão da nossa equipa acabou expulso e o livre frontal resultou no 2-2, apontado por Nélson Pedroso, exímio em lances do género.

Uma divisão de pontos que soube a muito pouco para o FC Vizela, que, por tudo o que jogou, pela exibição ao nível das melhores desta época, merecia sair de Merelim com a vitória.

Nada que tenha beliscado a liderança do agrupamento, já que a nossa equipa prossegue com o melhor registo da Série A, agora com a aproximação do Sporting de Braga ‘B’, no 2.º lugar, mas com mais um ponto relativamente ao terceiro posto, ocupado pela AD Fafe.

Segue-se o regresso a casa para uma dose dupla: o fecho da primeira volta com o Maria da Fonte e o início da segunda com o Marítimo ‘B’. Partidas nas quais o apoio dos vizelenses será muito importante para que o FC Vizela continue a jogar com esta alma tão característica.

 

Ficha Técnica

Resultado: Merelinense 2-2 FC Vizela

Local: Estádio João Soares Vieira (Merelim S. Pedro – Braga)

Árbitro: João Afonso (AF Bragança)

Assistentes: Nélson Pascoal e Renato Barqueira

Merelinense: Rui Rego; Gabi, João Paulo, Hugo Pinto e Nélson Pedroso; Sérgio Duarte, André Pinto e Luís Ferraz (C) (Tiago Antunes, 56’); Jorginho, Fábio Pimenta (Martin Luther, 69’) e Diogo Torres (João Freitas, 74’).

Suplentes não utilizados: Igor Bissoloti, Hircane, Zé Nando e Xavi.

Treinador: Orlando Costa

FC Vizela: Cajó; Koffi, João Faria (C), Aidara e Kaká; Ericson, Landinho e André Soares (Samu, 70’); Cann (Mendes, 73’), Diogo Ribeiro (Fall, 83’) e Kiko Bondoso.

Suplentes não utilizados: Rafa, Matheus, Kuku e Zag.

Treinador: Álvaro Pacheco

Golos: Diogo Torres (42’), André Soares (54’, g. p.), Koffi (87’) e Nélson Pedroso (90’).

Cartões Amarelos: Nélson Pedroso (37’), Aidara (58’), Hugo Pinto (73’) e Koffi (87’).

Cartão Vermelho: João Faria (89’).