Vizelenses dividiram pontos em jogo emotivo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

No regresso a casa, depois de duas jornadas seguidas fora de portas, o FC Vizela empatou a duas bolas com o Mirandela, em jogo a contar para a 23.ª jornada do Campeonato de Portugal.

Apesar da tarde chuvosa e fria, os espectadores presentes puderam assistir a uma interessante partida de futebol entre duas equipas que tiveram sempre os olhos postos na baliza.

Ainda sem qualquer derrota no campeonato, os vizelenses encontraram pela frente um adversário complicado, que já na primeira volta da prova havia dado mostras da sua valia.

Carlos Cunha havia dito isso mesmo na projeção ao jogo e o certo é que os transmontanos cedo procuraram dar trabalho à defensiva azul e branca.

Logo aos 4’, numa transição rápida e em superioridade numérica, Zidane Banjaqui desmarcou Yerson, mas Pedro Albergaria negou-lhe os intentos com uma saída corajosa.

A resposta vizelense foi pronta e imediata. Depois de um bom arranque de Carlos Fortes, foi Zé Valente quem protagonizou o remate para defesa atenta de Pedro Fernandes e, aos 7’, foi a vez de João Paredes testar o seu pontapé, no seguimento de um arremesso manual.

Contudo, aos 12’, seria o Mirandela a adiantar-se no marcador num lance de bola parada. Canto marcado no lado esquerdo do ataque transmontano e Angola, de cabeça, a fazer o golo.

A viver uma circunstância um tanto ou quanto inesperada no seu estádio, o FC Vizela reagiu da melhor forma, apelando à sua raça e querer para chegar ao tento da igualdade.

Antes disso, João Paredes, bem desmarcado por André Pinto, e Evrard, protagonista de um disparo à entrada da área, deram o aviso, seguindo-se três lances de bola parada que ameaçaram a defensiva alvinegra.

Até que, praticamente sobre a meia hora de jogo (28’), Diogo Lamelas fez o passe para André Pinto rematar, Pedro Fernandes não segurou o esférico e o oportuníssimo João Paredes apareceu para finalizar o lance com êxito, restabelecendo o empate.

O FC Vizela pretendia mais e manteve a mesma dinâmica ofensiva. Aos 34’, André Pinto procurou fazer o chapéu a Pedro Fernandes, este defendeu a meias com a barra e Carlos Fortes, de cabeça, introduziu a bola na baliza, mas o auxiliar de João Matos vislumbrou uma posição irregular.

Os instantes finais da primeira parte foram particularmente intensos. O Mirandela tentou reagir ao golo sofrido através de um cabeceamento de Grinood ao lado.

Mesmo sobre os 45’, os transmontanos colocaram-se novamente na frente com uma certa dose de felicidade pelo meio. Ricardo Mangas desferiu um remate sobre o lado esquerdo, que tabelou em Diogo Lamelas e traiu Pedro Albergaria, que nada podia fazer para evitar o golo.

Houve ainda tempo para o FC Vizela produzir nova oportunidade prometedora. Carlos Fortes ainda correspondeu de cabeça ao cruzamento de Nera, mas Zaidu Sanussi fez um corte providencial.

Para a etapa complementar, Carlos Cunha fez duas alterações duma assentada, visando uma maior objetividade ofensiva com as entradas de Cann e Aziz.

Seriam precisamente estes dois atletas a criar a primeira jogada de perigo da segunda parte. Aos 52’, Cann, descaído sobre o lado esquerdo, fez o cruzamento teleguiado para o remate de Aziz.

Cann voltaria a estar em evidência três minutos depois, na resposta a um cruzamento de Carlos Fortes, porém a bola encontrou novamente um adversário pelo caminho.

O Mirandela sujeitava-se durante o primeiro quarto de hora a um papel mais defensivo, por força do maior pendor ofensivo dos azuis e brancos, que nunca viraram a cara à luta.

Aos 59’, Aziz recebeu um excelente passe em profundidade de Weliton, mas não conseguiu rematar nas melhores condições. No minuto seguinte, Cann testou mais vez o seu pontapé, na sequência de um livre lateral.

Mais tarde, aos 68’, na tentativa de completar um alívio, Ricardo Mangas acabou por atingir Carlos Fortes dentro da área e o árbitro apontou para a marca de grande penalidade.

Chamado à conversão, foi o próprio Carlos Fortes quem se encarregou de transformar o castigo máximo no golo do empate, equilibrando novamente a balança do resultado.

Durante o último quarto de hora, a capacidade física dos jogadores do Mirandela trouxe algumas dificuldades aos azuis e brancos que, por sua vez, apostaram tudo no ataque, embora nem sempre com o melhor discernimento.

Aos 74’, Pedro Albergaria voou para a defesa da tarde, negando o golo a Varela, que, de cabeça, procurou dar seguimento ao cruzamento de Ricardo Mangas.

Aos 81’, ficou a ideia de que Varela arrancou em posição irregular, ficando na cara de Pedro Albergaria. Muito bem a fechar o ângulo, o guarda-redes do FC Vizela viu o avançado alvinegro rematar rente ao poste.

Os vizelenses responderam de bola parada. Aos 83’, Correia cabeceou ligeiramente por cima da trave, num livre executado por Cann, e, já em tempo de compensação, João Paredes, assistido por Carlos Fortes, dispôs de soberana hipótese, mas não conseguiu o desvio para a baliza.

Em suma, a divisão de pontos foi um desfecho aceitável num duelo emotivo entre duas formações apostadas em vencer, beneficiando, portanto, o espetáculo desportivo.

Apesar do empate, o FC Vizela continua sólido e destacado na liderança da Série A, agora com 55 pontos somados, mais 7 que o Vilaverdense.

No próximo domingo, dia 11 de Março, a turma comandada por Carlos Cunha vai a Mondim de Basto procurar repetir o que fez nas deslocações anteriores, ou seja, vencer.

 

FICHA DE JOGO

Local: Estádio do FC Vizela (Vizela)

Árbitro: João Matos (AF Viana do Castelo)

Assistentes: Jorge Brito e João Morte

FC VIZELA: Pedro Albergaria; João Pedro (C), João Cunha, Weliton e Nera (Correia, 70’); Evrard, André Pinto e Zé Valente (Aziz, 45’); Diogo Lamelas (Cann, 45’), Carlos Fortes e João Paredes.

Suplentes não utilizados: Rafa, João Oliveira, Dani e Panin.

Treinador: Carlos Cunha

SC MIRANDELA: Pedro Fernandes; Cláudio Tavares, Vítor Pereira (C), Zaidu Sanussi e Ricardo Mangas; Bruno Magalhães, Kelvin e Yerson (Varela, 21’); Angola, Grinood e Zidane Banjaqui.

Suplentes não utilizados: Fabrice, Nuno Corunha, João Loureiro, Igor, Anderson e Matheus.

Treinador: Rui Borges

Golos: Angola (12’), João Paredes (28’), Ricardo Mangas (45’) e Carlos Fortes (68’, g. p.).

Cartões Amarelos: Ricardo Mangas (67’) e Vítor Pereira (76’).