Resposta de campeão em Pedras Salgadas

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

À semelhança de anteriores deslocações à região transmontana, o FC Vizela voltou a trazer os 3 preciosos pontos na bagagem, aliando ao triunfo uma das melhores prestações da época.

Em Pedras Salgadas, onde nenhum outro adversário venceu desde Abril de 2017 (S. Martinho foi a última equipa a conseguir fazê-lo), os pupilos de Carlos Cunha rapidamente demonstraram as suas reais capacidades, exercendo uma entrada forte em jogo.

Corolário disso mesmo foi o golo madrugador, apontado por André Pinto, logo aos 3’. Tudo começou numa recuperação de bola por Evrad. Zé Valente (regresso muito saudado de um atleta que não competia desde Outubro) desmarcou Carlos Fortes, Cajó ainda travou o primeiro remate, mas nada pôde fazer para evitar o toque certeiro de André Pinto.

Este golo deixou o Pedras Salgadas instável e a equipa vizelense aproveitou para criar mais duas soberanas oportunidades por Zé Valente e Aziz, aos 8’ e 11’, respetivamente.

Durante o primeiro quarto de hora de forte domínio vizelense, o Pedras Salgadas apenas por uma vez testou a atenção de Pedro Albergaria. Tiago André lançou Hélder Mota, que, em posição frontal, rematou em jeito para uma defesa segura do guardião azul e branco.

Aos 21’, o FC Vizela criou mais uma boa situação, resultante do bonito futebol praticado com base em triangulações bem-sucedidas, sobretudo entre Zé Valente, João Pedro e Diogo Lamelas. Foi deste último o cabeceamento intencional para a defesa de Cajó.

Mais equipa que os da casa, os vizelenses continuaram à procura de mais golos. À passagem da meia hora, na sequência de um canto, Aziz, de ângulo muito reduzido, tentou a sua sorte.

Momentos antes, o Pedras Salgadas também levou algum perigo à área contrária, num remate tenso de Miguel Lima às malhas laterais.

Aos 34’, destaque para mais uma bela jogada de envolvimento pelo corredor direito. Diogo Lamelas descobriu João Pedro e este fez o cruzamento para o coração da área, aparecendo Ricardo André para o corte providencial, pois André Pinto aparecia nas costas para finalizar.

Perto do intervalo, aos 43’, num livre sobre o lado esquerdo, Diogo Lamelas levantou para a área, mas nem João Cunha, nem Weliton chegaram para o desvio, por escassos centímetros.

Pelo meio, o Pedras Salgadas, mais uma vez por intermédio do seu capitão Hélder Mota, tentou remar contra a maior corrente de jogo vizelense.

Nos primeiros minutos do recomeço, já sem Evrard, lesionado e substituído por João Oliveira, assistiu-se a uma ligeira reação da formação da casa.

Contudo, o melhor que o Pedras Salgadas conseguiu foi um livre executado por Tiago André, que Carlos Fortes, desta vez em missão defensiva, anulou ao primeiro poste (47’).

Seguiu-se um vendaval ofensivo do FC Vizela que, por quatro ocasiões, ficou perto de elevar a contagem. Carlos Fortes, a cruzamento de Amian, e Zé Valente, protagonista de três disparos recheados de intenção, colocaram o Pedras Salgadas novamente em sentido.

Aos 66’, o juiz da partida entendeu que houve motivos para assinalar livre indireto dentro da área vizelense. Pedro Albergaria agarrou o esférico com as mãos, após atraso de André Pinto, mas a verdade é que João Nogueira, no momento da pressão ao médio, tocou na bola, pelo que a sanção não deveria ter existido. Do lance, não resultou perigo, pois Tiago André atirou por cima.

Entretanto, logo a seguir, Carlos Cunha lançou em campo João Paredes e a aposta rendeu frutos imediatos, pois o atacante vizelense entrou e… marcou!

Destaque para a insistência de João Oliveira na génese do lance que deixou João Paredes na cara de Cajó, que pouco ou nada podia fazer para evitar o 2-0.

No minuto seguinte, um atraso algo comprometedor de Rafa quase possibilitou que João Paredes pudesse bisar na partida, mas Cajó antecipou-se.

Apesar do controlo sereno das operações por parte do FC Vizela, Miguel Lima (74’) e Zé Lopes (76’) mostraram que o Pedras Salgadas ainda queria ter uma palavra a dizer no jogo.

O facto é que a equipa vizelense quis sempre mais, nunca se acomodando com a vantagem de dois golos. Prova disso foi uma jogada em que Aziz recebeu um excelente passe de João Oliveira e procurou tocar por cima de Cajó, aos 79’.

Pouco depois, aos 81’, João Paredes, muito bem servido por João Oliveira, entrou na área e foi derrubado por Ricardo André, ficando por assinalar uma grande penalidade evidente.

Nos instantes finais do desafio, registo para mais duas situações favoráveis ao FC Vizela. Aos 89’, Cann (outro regresso três meses depois), abriu muito bem para João Paredes que, pressionado por um adversário, atirou ao lado. Depois, aos 90+1’, Zé Valente, na execução de um livre frontal sobre a meia lua da área, rematou contra a barreira.

O FC Vizela quebrou assim a recente série de empates com uma resposta de campeão e um jogo ao nível dos melhores da temporada, ultrapassando assim a barreira dos 50 pontos no topo da Série A, agora com uma vantagem reforçada pelos 7 pontos de diferença sobre o Fafe.

No próximo domingo, dia 25 de Fevereiro, a equipa de Carlos Cunha desloca-se precisamente à cidade do seu grande rival no campeonato, mas para defrontar o Arões.

 

FICHA DE JOGO

Local: Estádio da Portelinha (Pedras Salgadas)

Árbitro: Sérgio Soares (AF Porto)

Assistentes: Ludovico Franco e Jorge Aguiar

PEDRAS SALGADAS: Cajó; Rafa (Fábio Carvalho, 73’), Ricardo André, Dani e Carlos Freitas; Zé Lopes (Carlos Mendes, 83’), João Nogueira e Tiago André; Hélder Mota (C), Miguel Lima e Miguel Teixeira.

Suplentes não utilizados: Marcelo Torres, Filipe Silva, Nuno Barreto e Lane Nhaga.

Treinador: Ricardo Silva

FC VIZELA: Pedro Albergaria; João Pedro (C), João Cunha, Weliton e Amian; Evrard (João Oliveira, 45’), André Pinto e Zé Valente; Diogo Lamelas (Cann, 87’), Carlos Fortes (João Paredes, 67’) e Aziz.

Suplentes não utilizados: Rafa, Correia, Joni e Miguel Oliveira.

Treinador: Carlos Cunha

Golos: André Pinto (3’) e João Paredes (69’).

Cartões Amarelos: João Nogueira (19’), André Pinto (45’), Amian (48’), Hélder Mota (50’), Rafa (58’), Miguel Lima (80’), Carlos Mendes (89’) e André (90’).